Destaques Política

Partidos em Passos são unânimes na aprovação do adiamento

Por Adriana Dias / Redação

3 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Os 12 partidos políticos que devem lançar pré-candidatos em Passos afirmam que a mudança na data das eleições, de outubro para novembro, foi correta em razão da pandemia do coronavírus. A medida foi aprovada pela Câmara dos Deputados na quarta-feira, 1º, por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/20.

Os presidentes do Republicanos e do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Marco Aurélio dos Reis Silva e José Geraldo Lopes da Silveira, respectivamente, já têm definido o nome do pré-candidato André Husseman Patti e chapa para vereadores.

Nosso grupo político é bastante coeso e somos todos favoráveis ao adiamento das eleições para 15 de novembro. Respeitamos a análise e o consenso entre os epidemiologistas e cientistas, de que a partir de setembro a pandemia no Brasil já estará na sua curva descendente, o que permitirá a realização das eleições em novembro com segurança a todos”, informaram por meio de nota à redação.

No Partido Liberal (PL), que tem como presidente Wanilton Chagas Cardoso, a mudança já era aguardada.

Se não fosse a pandemia, o ideal seria que as eleições ocorressem na data originária, mas, frente a esta situação, a mudança foi necessária. Nós temos que nos adaptar a esta nova realidade. O partido tem candidato a prefeito e candidatos aos cargos de vereador”, garantiu.

O presidente do Partido da Mobilização Nacional (PMN), Virgínio Leopoldino, afirmou que já era uma situação esperada devido à pandemia.

Até novembro deve haver condições mínimas para que toda a população possa ir com segurança às urnas escolher os próximos representantes. Devemos lançar candidatos, sim, tanto para prefeito quanto para vereador, e todos terão uma campanha mais reservada, sem o contato corpo a corpo, como de costume. Será mais a distância e com cautela”, salientou.

Erick Freire Silveira, presidente do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), disse que a questão prioritária é a saúde das pessoas.

Respeitamos e vemos com bons olhos o adiamento, pensando na população. O partido continua estruturado, aguardando o momento para registro de candidatura”, disse.

O Progressistas (PP), presidido por Ademir José da Silva, também trabalha com a possibilidade de ter convenções para o próximo pleito e, para isso, aguarda as diretrizes da nova data.

Nós já estávamos esperando que a mudança da data fosse aprovada. A maioria do partido era contrária à prorrogação de mandato, que chegou ser aventada. Não estamos fazendo reuniões presenciais, no máximo, o que fazemos é a orientação de candidato de forma particular ou por meios digitais”, disse Silva.

No Partido Social Liberal (PSL), presidido por Diego Rodrigo de Oliveira a direção disse ver com bons olhos a mudança no calendário eleitoral.

Visto pelo aspecto sanitário, foi uma medida acertada de nosso Parlamento, já que temos municípios que estão passando por momentos temerosos. Do pondo de vista político, é uma oportunidade a mais para os partidos se estruturarem, bem como os pré-candidatos apresentarem ao povo suas propostas para a cidade”, informou.

O que você também vai ler neste artigo:

  • Saúde é a principal preocupação

Saúde é a principal preocupação

PASSOS – O Partido Social Democrático, sob a presidência de Cássio Antonio Ferreira Soares, também entende a grave situação enfrentada em razão da pandemia.

Foi prudente e adequado o adiamento das eleições. Sabemos que o voto é fundamental para a democracia; entretanto, é preciso exercê-lo com segurança e visando sempre resguardar a saúde das pessoas, que é e deve continuar sendo nossa primeira preocupação. Nosso partido está estruturado e enfrentará com muita tranquilidade os novos desafios que virão”, assegurou.

O presidente do Podemos, Wedson José Nunes, informou que é de extrema importância que as eleições ocorram neste ano.

Temos que nos preocupar prioritariamente com a saúde pública, seria importantíssimo o pleito acontecer neste ano, mas tenho receio de não ser possível realizá-lo com segurança em novembro”, afirmou.

Carlos Renato Lima Reis, presidente do Cidadania, acredita que foi um acerto a votação da prorrogação das eleições.

Por conta da pandemia, este adiamento se torna uma questão de saúde. A prioridade é preservar vidas”, afirmou.

Luiz Carlos de Oliveira, presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) informou que a sigla passense, em sintonia com os diretórios nacional e estadual, entende que o momento é crítico e que o Congresso Nacional tomou a decisão correta, adiando as eleições para 15 e 29 de novembro de 2020.

Quanto à campanha local, estamos articulando internamente e planejando uma campanha que leva em conta esta situação inusitada. Com certeza será uma campanha majoritariamente virtual e muito pouco presencial”, sinalizou Oliveira.

De acordo com a secretária geral do DEM, Taciana Lopes Baptista, com a atual situação de pandemia e o momento delicado que todo o país e o mundo enfrentam, foi necessária a alteração do calendário eleitoral. Ela afirma que o DEM é um partido que possui excelentes nomes para apresentar a Passos, tanto para prefeito como para vereador.

O presidente do DEM de Passos, Rodrigo Mattar, é totalmente aberto ao diálogo e ligado ao cenário político de um modo geral. Mas, com certeza, as eleições deste ano serão bem diferentes do que estamos acostumados, principalmente para os candidatos. Acredito que a campanha pelas redes sociais irá ganhar ainda mais força. Que todos tenham muita sabedoria para conduzir o processo e apresentar suas propostas à população”, disse.