Destaques Geral

Paróquias voltam a realizar casamentos e batizados na região

10 de agosto de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – A Diocese de Guaxupé tem facilitado o acesso dos fiéis católicos aos eventos nas capelas, igrejas, santuários e catedrais. Além das participações presenciais nas missas, obedecendo ao protocolo do Ministério da Saúde, algumas paróquias já voltaram a realizar casamentos e batizados.

De acordo com a assessoria do bispo dom José Lanza Neto, “as paróquias, todas elas, podem celebrar batizados e casamentos. Pode ser que em algumas não haja procura e noutras sim.

Isso é muito comum. A recomendação é que tudo seja feito sempre obedecendo ao parecer das secretarias municipais de saúde”. Em relação aos casamentos, os padres foram orientados a conversar com os noivos para saber se eles podem esperar a pandemia passar. Caso não seja possível, a cerimônia deve ser realizada com segurança, respeitando as medidas de contenção do vírus, como distanciamento social, uso de máscaras e número limitado de convidados.

Além disso, dom Lanza encontrou-se com todos os padres e propôs que eles observassem a situação da região em que as paróquias estão situadas. Nos locais em que há condições de reiniciar as missas com o povo, isso pode ser feito. Ainda conforme a assessoria, a recomendação “não foi uma ordem. Foi um incentivo dentro da permissão dada pelas autoridades”.

Em entendimento com os padres, acordou-se que uma quantidade de 30 pessoas por missa é mais seguro para todos. Para atingir um público maior, pode haver aumento no número de celebrações dos finais de semana, ou, se for o caso, a liturgia dominical pode ocorrer em outros dias.

Todas as pessoas são sempre bem-vindas às igrejas. O que se espera é que cada fiel perceba a sua situação pessoal. Recomenda-se, por exemplo, que crianças, idosos e pessoas que fazem parte dos grupos de risco não participem das missas. O preceito de participação aos domingos foi retirado ‘ad tempus’ pelo bispo, com a finalidade de que, aqueles que estiverem impossibilitados de ir às igrejas, possam acompanhar com segurança a partir de suas casas pelo Ministério de Comunicação Social (MCS). Apesar dessas possibilidades, se em algum lugar a situação estiver duvidosa ou complicada, ou ainda se o padre não se sentir seguro – pode ser que possua alguma enfermidade -, então é melhor aguardar outro momento”, informou a assessoria.

Dom Lanza encontrou-se com os padres e propôs que eles observassem a situação da região em que as paróquias estão situadas. (Foto: Divulgação)