Destaques Variedades

Parede, objeto de decoração

10 de agosto de 2020

Ressaltar uma única superfície dentro de cada ambiente é um recurso simples e eficaz para dinamizar a decoração. / Foto: Divulgação

Em tempos que pedem transformações rápidas – e gastos sob controle –, paredes vazias podem representar um verdadeiro trunfo na hora de decorar.

Tudo, claro, vai depender do efeito desejado, mas, em qualquer situação, é essencial que a superfície escolhida converse com o restante da decoração. No caso da sala decorada pela arquiteta Camila Gazola (camilagazola.com), feita sob medida para receber uma jovem família, a equação se resumiu a encomendar um trabalho para o muralista Rafael Highraff que, em contraponto à austeridade do mobiliário e dos revestimentos, onde o cinza predomina, carregou nas tintas, investiu pesado no rosa e compôs um painel de efeito explosivo.

“É impossível ficar indiferente a ele”, pontua a profissional. Já no caso do arquiteto Ricardo Abreu (ricardo-abreu.com), a opção foi justamente reforçar a sobriedade. O cinza também se faz presente, mas, desta vez, a intenção foi de realçá-lo ainda mais, por meio de um painel cimentício em relevo.

Dessa forma, o próprio material acabou sendo responsável pelo efeito decorativo, o que eliminou gastos adicionais com quadros e demais acessórios.  Com um inegável apelo retrô, além dos cimentícios, massas texturizadas prontas para aplicar, ladrilhos cerâmicos e até rochas, com superfícies ressaltadas, como as do mármore e do granito, também vêm sendo empregadas com frequência cada vez maior nos projetos para produzir resultado

Memória afetiva

Claro que, em se tratando de “decorar” paredes, quadros, obras de arte e mesmo pequenos objetos, que remetem à memória afetiva de cada um, serão opções sempre ao alcance. Mas, quando o assunto é dar destaque a somente uma superfície dentro de cada ambiente, é preciso ir um pouco além.

A parede deve ser pensada como um todo, como se fosse a própria tela. A começar pela cor de fundo, que deve dar destaque à composição. A partir daí, é possível combinar molduras, tamanhos, formatos, pequenos desenhos e objetos.  Em uma disposição assimétrica ou organizada com rigor. Não importa. O que vale é que os elementos façam referência à vida e ao estilo de quem vive na casa”, destaca a arquiteta Júlia Guadix, à frente do escritório Liv’n Arquitetura, (livn.arq.br).

Como fez, aliás, seu colega Renato Navarro (renatonavarro.com), que em um de seus projetos deu destaque à parede de uma área de serviço a partir de vasos que tinham como suporte uma sacola e uma bacia, além de outros objetos inusitados.

Sempre reforço que para criar uma parede com base em quadros, fotos ou objetos basta ter espaço e a firme intenção de transmitir uma mensagem”, diz Júlia.