Cidadania Destaques

Pandemia não prejudica assistência aos moradores de rua

6 de julho de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – Apesar da crise provocada pela pandemia do coronavírus, a maioria das entidades assistenciais de Passos está conseguindo cumprir seus trabalhos sociais e filantrópicos sem sérias dificuldades. Mesmo diante de diversos problemas que a população atravessa, como o desemprego e a diminuição da renda familiar, os passenses deixam transparecer claramente que o sentimento de caridade continua aflorado.

O Centro Pop Padre Leo, por exemplo, foi criado em Passos há 25 anos, sob a gestão do Educandário Senhor Bom Jesus dos Passos, e é mantido pela Congregação dos Padres Rogacionistas, fundada pelo santo italiano Anibale Marie de Frância. Há quase um ano foi firmada a parceria com Secretaria Municipal de Assistência Social, Trabalho e Renda (Sedest), que cede alguns funcionários, além de profissionais das áreas de saúde e social.

Em momento algum a entidade passou ou passa por dificuldades para atender seu público-alvo, que são os moradores de rua. Graças a Deus e à generosidade dos nossos benfeitores permanentes, doadores voluntários e o povo em geral não nos falta nada, sejam alimentos ou profissionais que atendem as pessoas carentes”, afirmou Luiz Caetano, o padre Luizinho, diretor do Educandário.

Ele também revelou ter recebido do Unissul Supermercados dezenas de cestas básicas, realizado a feijoada beneficente e sorteado um cordão de ouro cuja arrecadação foi para cobrir despesas do Centro Pop.

Ganhamos também mil máscaras faciais da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grane (Ameg) e seremos muito gratos por tudo que nos for doado. Esclareço publicamente que não estamos realizando nenhuma campanha seja em prol do Centro Pop ou do Educandário”, assegurou.

Sobre os mantimentos recebidos para o preparo do café da manhã e almoço, quando há excesso de alguns produtos alimentícios, eles passam a compor cestas básicas que são repassadas a várias outras entidades assistenciais. O Centro Pop tem capacidade para alimentar, exceto aos sábados e domingos, 80 pessoas, mas, com a pandemia, há uma variação entre 30 e 50 atendimentos. As pessoas recebem ainda roupas de cama, produtos de higiene e vestimentas lavadas.

Os profissionais do Educandário que atuam no Centro Pop são o motorista, a cozinheira e a auxiliar de limpeza. Como servidores municipais, trabalham psicólogo, educador, enfermeira, assistentes sociais.

O que você também vai ler neste artigo:

  • Leo

Leo

De acordo com o diretor do Educandário, a antiga cantina recebeu o nome de Padre Leo, hoje Centro Pop, em homenagem ao italiano que há anos veio para Passos com o objetivo de trabalhar no processo de canonização do santo Anibale, mas, infelizmente, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (ACV). Depois de alguns anos acamado, José Leo veio a óbito e seu corpo está sepultado em Passos. O Centro Social do Educandário também leva o nome do padre italiano.