Destaques Esporte

Pandemia da Covid-19 muda rotina dos apaixonados por futebol

4 de abril de 2020

PASSOS – Como estão se virando os fanáticos torcedores de clubes de futebol brasileiros e até do exterior depois que todos os campeonatos, torneios e copas ainda em andamento em todo o planeta terra foram suspensos em razão da pandemia do coronavírus? Em Passos, principalmente nos dias e horários que as redes de televisão ou emissoras de rádios transmitiam as partidas de futebol, os desportistas continuam ligados nos órgãos de comunicação, porém para se inteirar sobre o que está ocorrendo no mundo todo sobre a peste do Covid-19.

Sem transmissão de jogos ao vivo, muitos canais de TVs reduziram drasticamente até seus programas esportivos de bancadas, bem como aqueles habituais que inserem reportagens diárias, noticiários dos principais clubes brasileiros etc. As redes por assinaturas, para não perder seus clientes, optaram por reprisar decisões dos principais campeonatos brasileiros como estaduais, Copa do Brasil, Brasileirão; América do Sul, a copas Libertadores, Sul-Americana; da Europa também a copas da Uefa e Champions League.

Talvez o mais obcecado torcedor do Clube Atlético Mineiro, Jeovane Santana, o Macaco, servidor público municipal, afirmou que mesmo com a epidemia está trabalhando e ainda sobre tempo de ficar um pouco em casa procura assistir filmes e séries cinematográficas através de um dos provedores de TV por assinaturas. “Gosto muito de telejornais, menos os da Globo, não assisto, apenas futebol. É estranho para quem gosta de assistir futebol ao vivo ficar vendo apenas reprises, final da Copa do Brasil de 2014. Já vi uma três vezes, e a Libertadores 3013 duas ou mais oportunidades. Apesar que ver os jogos do Galo no estádio é outra coisa. Fui no último clássico contra o Cruzeiro dia 7 de março. Até joguei a camisa minha para o lateral Guga e ele pegou, contou. “Vamos aguardar o fim da pandemia e voltar tudo ao normal. Fica a lição para nós todos que ficamos sem os estaduais, Champions League, Brasileirão, mas não ficamos sem médicos, enfermeiros, garis, policias militares, Corpo de Bombeiros e nossa eterna Fé, afirmou um dos sócios da Galoucura em Belo Horizonte”.

O representante da torcida Celeste em Passos, o pintor residencial, Robson Elias Bernardes revelou que na quarentena e sem futebol fico louco ao longo da semana e principalmente nos finais de semana. “Tento passar o tempo assistindo algumas gravações do Cruzeiro eu nunca imaginei que iria passar um momento assim, como ficar sem ir ao Mineirão acompanhar o meu time do coração, mas isso tudo vai passar e voltaremos em breve ter futebol. Confio em Deus ele é o único caminho, amém. Nós da Celeste Passos estamos ansiosos e obrigado pelo espaço Unidos pelo Futebol”, ressaltou.

Já o flamenguista fanático Alessandro Fernando Teixeira, securitário, conta que nesses dias de isolamento em casa com a família está assistindo mais séries e filmes através provedoras pagas. “Apesar que os canais de esporte está reprisando alguns jogos, aproveitei para curtir a final da Libertadores de 2019. Se for contar as limpezas de casa e do carro foram muitas tarefas já cumpridas durante o confinamento social”, zoou.

O empresário do ramo de madeireira, Mário Gomes de Oliveira Filho é um daqueles que não perde um jogo se quer do Palmeiras na TV ou rádio, mas foi obrigado a suspender momentaneamente esses dois tipos de laser. “Agora, durante a semana assisto filmes, rezo com minha família e vizinhos. Um dia em frente a casa de um, outro dia entre vamos para uma residência diferente. Nos finais de semana vejo mais filmes e disputo partidas de dominó com meu filho Pedro Henrique”, comentou.
Antônio Carlos Amâncio, policial militar da reserva foi bastante objetivo. “Nesses tempos sem jogos do Corinthians não faço nada, nada, nada. Sempre assistindo filmes através de TVs abertas, por assinatura ou provedora cinematográfica. Esqueci de existe programas esportivos e reprise de jogos na televisão”, afirmou.