Destaques Lingua Portuguesa

Os encaixes dos artigos

19 de setembro de 2020

Em Língua Portuguesa temos dez classes gramaticais: substantivo, verbo, adjetivo, pronome, artigo e numeral. Essas são consideradas variáveis porque variam em gênero e número. Preposição, conjunção, interjeição e advérbio. Essas quatros são as invariáveis porque são sofrem variação. Vamos estudar a classe do artigo?

A origem é o Latim ARTICULUS, diminutivo de ARTUS, “junta, articulação”, do Indo-Europeu AR-, “fazer encaixar”. São as palavras “o” e “um”, com suas flexões de gênero e número (o, a, os, as, um, uns, uma, umas), que sempre vêm antes dos substantivos, designando seres determinados ou indeterminados. O artigo que determina chama-se definido. Em “a mulher está grávida” não é qualquer mulher. Ela foi definida. Em outra parte, o artigo que não determina um ser chama-se indefinido. Em “uma mulher grávida” pode ser qualquer mulher que estiver esperando um bebê.

Leia a literatura de Monteiro Lobato que nos ensina sobre a classe gramatical artigo, de forma didática, em uma conversa entre Emília e Quindim: “ — E naquela casinha minúscula? — perguntou Emília. — Quem mora lá? — Lá moram o A, o O, o Um, Uma, umas pulgas de palavrinhas, mas que apesar disso são utilíssimas. A gente não dá um passo sem usá-las. São os ARTIGOS. — Para que servem? — Para individualizar um Nome. Individualizar quer dizer marcar um entre muitos. Quando a gente diz: A menina do nariz arrebitado, aquele A do começo marca, ou individualiza, esta menina que está aqui, esta neta de Dona Benta — e não uma menina qualquer.

Tudo já fica muito diferente se dissermos: Menina do narizinho arrebitado — sem o A, porque então já não estaremos marcando estazinha aqui. O artigo Um também individualiza. Em Um Macaco, o Um individualiza, ou marca, um certo macaco entre toda a macacada. — Mas Um Macaco não diz qual é o macaco. Um Macaco pode ser este ou aquele — objetou Emília. — Por isso mesmo o O e o A recebem o nome de Artigos DEFINIDOS, e o casalzinho Um e Uma recebem o nome de Artigos INDEFINIDOS. O Artigo O é Definido porque marca com certeza; o Artigo Um é Indefinido porque marca sem certeza. — A coisa é um tanto complicada; mas sem explicar eu entendo melhor do que explicado demais. Vamos adiante.”

Há outros valores nas definições do artigo quando por exemplo nos deparamos com o enunciado “ele perdeu o emprego”. Esse “o” não só define qual emprego, como pode indicar que aquele era o melhor emprego. Esse tipo de definição surgiu com o cotidiano linguístico. Constatamos o seu uso dentro de um contexto.

Em outras particularidades, o artigo anteposto pode substantivar qualquer palavra. Por exemplo: “ele recebeu um sim!”. Nesse caso, o advérbio “sim” foi substantivado. O artigo pode aparecer combinado ou contraído com preposições. Em “Permaneceremos na fila até depois do horário” temos a contração de “em” (preposição) mais “a” (artigo) no caso de “na” e “de” (preposição) mais “o” (artigo), na ocorrência de “do”. O mesmo acontece no uso do acento grave (crase) no “a”. “Ele foi à escola”: na crase, há a junção do “a” (preposição) e do “a” (artigo). Enfim, saber essas minúcias da língua nos habilita a entende-la com mais facilidade. Um abraço.

PROF. DR. ANDERSON JACOB ROCHA. Autor do livro: A Linguagem da Felicidade. Instagram: @prof_andersonjacob. Youtube: Prof. Dr. Anderson Jacob