Destaques Do Leitor

Ontem, hoje e amanhã

12 de janeiro de 2021

Presente, passado e futuro. O ontem parece distante, mas lembro-me bem dos acontecimentos. Foi ontem que fiz uma boa ação. Foi ontem que fiz bom negócio. Foi ontem que fiquei alegre e triste ao mesmo tempo. Foi ontem que, corajosamente, contei aquele segredo e me desabafei…

Também foi ontem, já passado, e ficou para trás, e debaixo do travesseiro. Hoje, como é de costume dizer, é outro dia. É de se levantar cedo, agradecer tudo pelo ontem e por hoje. De encontrar pessoas e dar-lhes bom dia, boa tarde e boa noite. De encarar os problemas, se existirem, e resolvê-los a contento, e saber: como foi seu dia ontem? Não fiz ontem, nem hoje, vou deixar para amanhã. Hoje depende do ontem para corrigirmos os erros cometidos.

Amanhã, bem, o amanhã, é costume dizer, que a Deus pertence. Mas podemos planejar para que o amanhã seja alvissareiro e de bons costumes, de coisas boas e agradáveis. De nos encorajarmos e partirmos para o amanhã que sonhamos, mesmo sendo para outro dia, recomeçar e deixar acontecer. Amanhã será como em versos do cantor e compositor Guilherme Arantes: “Amanhã será um lindo dia/ Da mais louca alegria/ Que se possa imaginar./ Amanhã redobrada a força/ Pra cima que não cessa/ Há de vingar”. Amanhã!

Fernando de Miranda Jorge – Jacuí/MG


200 mil mortos

O Brasil já acumula 200 mil óbitos por causa da covid-19. Há cinco meses, esse número era de 100 mil mortos. Estamos com quase 8 milhões de casos confirmados, o dobro do que tínhamos no início de setembro de 2020. O número de óbitos no Estado de São Paulo se aproxima do número de homicídios registrados no Brasil todos os anos. Não entendemos o motivo pelo qual o Brasil ainda não iniciou a vacinação de sua população. Faltam seringa, agulha, logística ou simplesmente a vontade política de salvar vidas?

José Carlos Saraiva da Costa – Belo Horizonte/MG