Destaques Lingua Portuguesa

O uso dos porquês (parte 1)

POR PROF. ANDERSON JACOB ROCHA

12 de setembro de 2020

Recebi um pedido para escrever sobre o uso dos porquês. Escrevi sobre isso em janeiro de 2016, mas prometi que iria repetir. Segue.

Como podemos utilizar os termos ‘por que’ e ‘por quê’?

Por Que

A utilização do ‘por que’ (separado e sem acento) se dá em quatro modos:
Em perguntas diretas que buscam o sentido de “qual motivo”. Repare:
– Por qual motivo ela não quis aceitar o meu convite?
Substitua os termos grifados pelo ‘por que’:
– Por que ela não quis aceitar o meu convite?

b) Em perguntas indiretas em que são usados os sentidos “qual razão” ou “qual motivo”. Veja:
– Indaguei-lhe por qual razão (qual motivo) não quis aceitar o meu convite.
Substitua os termos grifados pelo ‘por que’:
– Indaguei-lhe por que não quis aceitar o meu convite.

c) No momento em que for compatível com os termos: pelo (a) qual, pelos (as) quais. Observe:
– Não sei dizer o motivo pelo qual ela não aceitou o meu convite.
– Desconheço as razões pelas quais ela não aceitou o meu convite.
Substitua os termos grifados pelo ‘por que’:
– Não sei dizer o motivo por que ela não aceitou o meu convite.
– Desconheço as razões por que ela não aceitou o meu convite.

d) Quando o sentido dele for equivalente a motivo pelo qual ou razão pela qual. Analise:
– Para mim, não há motivo pelo qual ela não possa aceitar.
Substitua os termos grifados pelo ‘por que’:
– Para mim, não há por que ela não possa aceitar.

Por Quê

O uso do ‘por quê’ (separado e com acento) acontece quando há um pronome interrogativo no final da oração ou quando estiver sozinho em frase interrogativa. Ambos com o sentido de ‘por qual razão’/ ‘por qual motivo’. Acompanhe:
– Não sei por qual razão, mas ela não quis aceitar o convite.
– Ela quis aceitar o convite, por qual motivo?
– Por qual razão?
Substitua os termos grifados pelo ‘por quê’:
– Não sei por quê, mas ela não quis aceitar o convite.
– Ela quis aceitar o convite, por quê?
– Por quê?
Na próxima semana, abordaremos sobre o uso de ‘porque’ e ‘porquê’.

PROF. ANDERSON JACOB ROCHA. Doutor em Língua Portuguesa (PUC/SP). Autor do livro: A Linguagem da Felicidade. Youtube: Prof. Dr. Anderson Jacob