Destaques Lingua Portuguesa

O que é ser um chato?

20 de junho de 2020

Nunca se fez tão importante falar dessa palavra do título. Chato! Vamos ver quais são as suas variações e ressignificações?

Olhando a origem dela no dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado, vi que o grego “platús” é a palavra que deu a gênese para o termo popular latino “plattus”. Elas significam “chato, estendido”.

A partir disso, fica mais fácil compreendermos as ressignificações que damos a essa palavra e suas variações quando queremos falar de algo ou de alguém que é enfadonho, exagerado, inconveniente, pouco esclarecedor, sem argumento, que reclama de tudo, que fala demasiadamente, que não fala quase nada, que só resmunga, que emburra, que vai atrás de algo até conseguir, que “pega no pé”, que fica vigilante, que é observador, que é detalhista, entre outras. Há até o chato de galocha, pessoa maçante.

Dá para notar que algumas significações nem sempre estão voltadas para uma atitude negativa, dependendo do contexto em que a palavra “chato” é empregada. Por exemplo, na gíria futebolística, os boleiros chamam um jogador de “chato” quando ele tem a função de marcar o oponente e o faz muito bem. Portanto, trata-se de um elogio. Elogiamos um profissional chamando-o de “chato”, quando notamos que faz um trabalho impecável, com precisão e que não demande reclamação.
É correto dizer também que a maioria do emprego das palavras “chato”, “chatice”, “chateação” e “chatíssimo” está voltada para características negativas mesmo. “O coisa chata!”, “que chatice!”, “quanta chateação!”, “que cara chato!” etc.

Outras significações que são possíveis de serem identificadas é a pessoa que é rasa, sem profundidade no assunto que aborda ou, pelo contrário, a pessoa que conhece muito sobre um tema e quer se mostrar, mesmo sem ser chamada. Para o primeiro caso, podemos fazer uma analogia com algo achatado e que incomoda.

Uma barata ou carrapato podem servir de exemplo. Para o segundo, podemos fazer uma comparação com um disco. Ele é chato, mas possui um série de informações ali. O problema é quando o disco está arranhado ou é usado em lugares inadequados.

Separei três pensamentos sobre a palavra “chato”.

Acho muito chato você chegar a um lugar e ficar ouvindo as pessoas falarem mal da vida. Pô, vai a um analista então! (Cazuza)”. “Chato – Indivíduo que tem mais interesse em nós do que nós temos nele. (Millôr Fernandes)”. “O otimista é um tolo. O pessimista, um chato. Bom mesmo é ser um realista esperançoso. (Ariano Suassuna)”.

O bom de termos a consciência dessas variações e significações é que dependendo do lugar em que estivermos, podemos usá-las por dois motivos: para demonstrar riqueza vocabular e para sermos mais educados até para falar mal de outrem.

PROF. ANDERSON JACOB ROCHA. Doutor em Língua Portuguesa (PUC/SP). Autor do livro: A Linguagem da Felicidade. Instagram: prof_andersonjacob. Youtube: Prof. Dr. Anderson Jacob