Destaques Dia a Dia

O Nosso Maravilhoso Corpo

POR LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO

31 de outubro de 2020

Essas folhinhas de um calendário funcionam como se fossem aqueles almanaques fornecidos por farmácias antigamente e elaborados por patrocínios de laboratórios que propagavam seus produtos de cura para várias doenças. Na folhinha do dia 04/09/2020, de Aparecida, nos deparamos com um resumo sobre o corpo humano, com explicações muito interessantes. Sabemos que muita gente, principalmente da área médica, ou paralela a ela, deve conhecer com muitos detalhes até.
Mas, julgamos interessante repassar as informações, até porque muitas pessoas que estudaram o corpo humano nos livros escolares, já possam ter esquecido. Garanto que eu nem me lembro mais se já estudei ou não tais informações. Vejamos por etapas, como constam na folhinha.

“O músculo mais potente do corpo é a língua. ” – Que coisa maravilhosa! Não é que nossa língua tem uma força enorme e a usamos constantemente para falar, cantar, comer, beber e para denegrir nossos adversários, demonstrar inveja, despeito, mas, também para proferir palavras de amor, de carinho, de afeição! A língua tem o “dom” de construir e de derrotar, até de provocar a morte. Sua força é descomunal, seu poder é enorme, tanto construtivo como destrutivo. Mas, deixando de lado toda essa “celeuma”, tratemos de colocar freio na língua e passar a usá-la apenas para o que foi criada, de forma correta e sempre para o bem.

“O suor não tem odor. São as bactérias da pele que criam o cheiro.” – Será que as bactérias são as mesmas de pessoa para pessoa? Afinal, o odor exalado por uns nem sempre tem o mesmo sabor, aliás, corrigindo, o mesmo cheiro, uns são mais acentuados, outros menos. Se são as mesmas bactérias, talvez elas sejam mais saudáveis em algumas pessoas e menos em outras!? Não estou afirmando nada, até porque sou leigo no assunto, estou apenas conjecturando. “O comprimento total dos braços humanos abertos corresponde à altura da pessoa.” – Bem, isso eu estou lembrado de ter aprendido. Onde e quando, não sei, mas, há muito tempo que me informaram.

“4 kg é o peso do cérebro humano. Este consome 25% do oxigênio que respiramos.” – Mesmo com tanto oxigênio ainda existem pessoas com o cérebro vazio, não importa se sejam estudadas ou não, é algo que só os psiquiatras ou psicólogos podem explicar. Tem gente com pouco estudo que pensa e age como um sábio! Tem gente estudada, com a cabeça vazia! Em matéria de educação, política, idealismo, esporte e religião, nem se fala, mas, deixemos para lá!

“Um adulto elimina três litros de água por dia, por meio da urina, suor e respiração.” – Será que é igual para todos? Não dependeria do trabalho que exerce, do esforço que usa no serviço, do clima do dia, se quente ou frio? Bem, acredito que a informação esteja centrada num estudo até que estatístico. Deve ser a média que encontraram. Com a palavra, os especialistas. Mas, se depender do esforço humano diário, deve ter gente na ociosidade até acima da média, por beber bastante. Água, é claro, não insinuo nada!

“O crânio tem 29 ossos. Os pés possuem um quarto dos nossos ossos. O esqueleto de um homem de 64 kg pesa 11 kg.” – Pelo que pesquisei também, o corpo de um adulto tem 206 ossos. Pela aritmética, os pés teriam, então, 51,5 ossos, ou seja, 25,75 ossos cada pé? A conferir! “Uma pessoa pisca os olhos aproximadamente 25 mil vezes por dia. O olho humano é capaz de distinguir 10.000.000 de diferentes tonalidades.” – Como será que conseguiram calcular isso, hein? Algo maravilhoso! Bem, fazendo uma analogia com a música, concluiremos que com apenas poucas cores básicas, a mistura delas pode criar quase que infinitas variações de tonalidades. Com a música, não acontece o mesmo?

Com sete notas musicais, incluindo os meios tons, que acabam formando 12 sons, já não fizeram milhões de músicas pelo mundo e continuam fazendo? Sem falar em certas músicas orientais, que trabalham com microtons! Algo até estranho para nós, até acostumarmos! É claro que há muito e muito mais no nosso corpo, que um dia voltará ao pó! Não há como escapar!

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO, professor de oratória e de técnica vocal para fala e canto em Carmo do Rio Claro/MG, ex-professor do ensino técnico comercial formado no Curso Normal Superior pela Unipac.