Destaques Geral

Número de material recolhido pela Cocares cai durante a pandemia

27 de outubro de 2020

Foto: Divulgação (Época)

PASSOS – Atualmente, a Cooperativa Cocares, de Passos, tem recolhido cerca de 25 toneladas de materiais recicláveis por mês, número menor em comparação ao que era recolhido antes da pandemia do novo coronavírus. De acordo com Olário Alves Ribeiro, presidente da entidade, nos primeiros meses da crise viral, nada estava sendo vendido.

“Quando começou a pandemia, não estava vendendo sequer uma agulha, agora abriu um pouquinho, e a maior parte eu estou estocando. Tem um barracão e eu separo tudo o que tem, estou estocando até o pessoal de Ribeirão Preto liberar para vir buscar”, contou.

O presidente da cooperativa explica que costuma destinar a maior parte do material recolhido para a cidade de Ribeirão Preto, onde os preços de venda são melhores em comparação com os de Passos. Segundo Ribeiro, até disseminação do coronavírus, a situação era favorável. “Antes da pandemia, estava bom, todo mundo tinha dinheiro, vendia toda semana e pagava toda sexta-feira,” afirmou.

Muitas famílias que trabalham com reciclagem estão passando dificuldades devido à queda no recolhimento e nas vendas dos materiais em razão da pandemia. Em 2012, entrou em vigor o auxílio “Bolsa Reciclagem” em Minas Gerais, que é um incentivo financeiro para associações e cooperativas de catadores de materiais recicláveis constituídas há mais de um ano.

Ribeiro conta que apenas quatro dos doze catadores da cooperativa conseguiram receber o benefício e que alguns estão passando necessidades. Ele também afirma que entrou em contato com a prefeitura, em busca de auxílio para os membros da cooperativa, mas não teve sucesso. Para ajudar aos catadores e suas famílias, o presidente da entidade está recolhendo mantimentos. Ao todo, já foram doadas 28 cestas básicas.