Destaques Moda

Novo normal

Por WAGNER PENNA Especial para a Folha

6 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

As primeiras apresentações das marcas internacionais neste período da pandemia estão sinalizando uma simplicidade em algumas grifes (caso da Chanel), enquanto outras buscam no passado de glórias a linguagem para vender o futuro (exemplo da Dior). Neste caso, a marca colocou shorts por baixo do vestido inspirado na forma do new-look (anos 1940), ícone da grife, e pronto.

Mas será preciso muito mais do que isso para retomar o ritmo de vendas, o usar o marketing adequado e renovar de esperanças fashion. A saída pelas apresentações públicas grandiosas, mas sem presença público, será utilizada por muitos nomes de peso.

Por aqui, as confecções estão focadas em baixar os custos. Além de diminuir pela metade o numero de modelos propostos para o próximo verão, também buscam estilo mais limpo, poucas estampas e por aí afora. O que antes era considerado apenas ‘comercial’, hoje é o ‘novo normal’. Vender é preciso.

O que você também vai ler neste artigo:

  • VAIVÉM
  • PONTO FINAL

VAIVÉM

A turma da moda na Europa está desesperada. O fato é que a primeira semana de moda, apresentada de modo virtual, em Londres, não provocou interesse – e os acessos nas redes sociais foram pouquíssimos. Por isso mesmo, os franceses já decidiram que farão seus desfiles de setembro de forma presencial (26 de setembro a 6 de outubro) – mas também online . O mundo é digital.

O movimento fashion, de julho, em Beagá, parece garantido, pois o fechamento da cidade em razão da pandemia vai até o dia 15 – mas não atinge quem trabalha com atacado, caso da moda para mostrar aos lojistas. Além disso, o evento Minas Showroom (com lançamentos de verão, via pedidos) vai até o dia 23 de julho.

PONTO FINAL

O prazo final para decidir sobre a realização da Minas Trend (marcada para outubro) é o mês de agosto. Com o Expominas/BH ocupado pelo hospital de emergência para atender pacientes da covid-19, o local está indisponível. Ao que tudo indica, o alto potencial da feira será transformado em energia para gerar uma nova forma de salões de negócios – via internet. Um sistema de algoritmos para isso está sendo pesquisado. Vamos aguardar.

Foto: Divulgação