Destaques Do Leitor

Noite feliz

24 de dezembro de 2020

Curiosidade de ‘noite feliz’, uma música natalina, que surgiu há 200 (duzentos anos), composta pelo professor de ensino primário, o austríaco Franz Gruber, foi apresentada pela primeira vez na igreja de São Nicolau, “Noite feliz, noite feliz/ Ó Senhor, Deus de amor/ Pobrezinho nasceu em Belém/ Eis na Iapa, Jesus nosso bem/ Dorme em paz, ó Jesus/ Dorme em paz, ó Jesus”. Na versão em inglês, mantém – ao menos nos versos iniciais – o sentido do original, mas não é regra. Se em português a noite é “feliz”, em francês, ela é doce (“douce nuit”) e em espanhol, “de “paz” (“noche de paz”).

A melodia do professor primário tem afirmação, contraste, ponto fulminante e conclusão, tudo em 12 (doze) compassos; o jogo de simetrias não é linear, isto é, traço contínuo, em linha. Franz Gruber talvez tenha pensado em compor algo simples, que pudesse ser cantado por seus alunos. Passados duzentos anos, a classe do professor tem o tamanho de uma civilização, uma sociedade, de um país, de uma região, de uma época.

E a nossa “noite feliz”? Seria um encontro com Deus, na expectativa de um lindo amanhecer? Após a noite feliz, o dia vem outra vez, faz-se o que se fez, tudo recomeça e termina ao fim do dia. Vem a noite, feliz, se a ambicionarmos. E a vida simplesmente se repete… na noite feliz. É um estado de espírito! Não deixe de desejar um dia melhor, ainda que hoje seja o dia mais que perfeito para uma “Noite Feliz”.

Fernando de Miranda Jorge – Jacuí/MG


Descarados

Mal o prefeito de São Paulo foi eleito – independentemente de quem fosse o eleito –, o descaramento de alguns vereadores em propor o aumento dos seus salários independentemente de quando será é um descalabro. Já na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), a maior parte dos deputados pró-Doria votou para diminuir os salários dos aposentados e pensionistas – isso durante a pandemia. Precisamos destes políticos?

Tania Tavares – São Paulo/SP