Destaques Eleições 2020

Na propaganda, candidatos usam tempo para se apresentar e pedir alternância

10 de outubro de 2020

SÃO PAULO – Destinado apenas aos candidatos a prefeito, o horário eleitoral gratuito no rádio e TV começou ontem, 9, e vai até 12 de novembro em duas edições diárias, de segunda a sábado. Na rádio, os horários serão das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10. Na televisão, das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40. Em Passos, no primeiro dia de propaganda nas emissoras de rádio apenas 4 dos 7 candidatos se apresentou. A propaganda eleitoral em Belo Horizonte, ontem, teve samba com meio elogio a adversário, partido que não mandou gravação para ir ao ar e apelo à “sinceridade” na busca por votos.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Porto Alegre
  • Salvador
  • Curitiba

O prefeito Alexandre Kalil (PSD), que disputa a reeleição, disse ter governado somente dois anos. Nos outros dois, afirmou, gastou um ano “aprendendo” e outro “combatendo tempestades e pandemias” – referência às chuvas do início do ano na cidade e ao novo coronavírus. O PCdoB, na disputa com o ex-deputado federal Wadson Ribeiro, usou samba elogiando o prefeito, porém, defendendo alternância de poder. “O Kalil é gente boa, mal dele não vou falar, mas parece que tá cansado, deixa a esquerda revezar”, dizia a letra.

Porto Alegre

Os problemas causados pela pandemia em Porto Alegre marcaram boa parte das primeiras propagandas eleitorais dos candidatos a prefeito da capital gaúcha. Com maior espaço entre os concorrentes, o prefeito Nelson Marchezan Junior (PSDB) dedicou o programa para agradecer os profissionais da saúde, prestou solidariedade às vítimas da covid-19 e traçou planos para enfrentar a pandemia e salvar vidas. “Posso errar como prefeito, mas não como ser humano”, disse. Marchezan é alvo de um processo de impeachment, acusado de utilizar irregularmente verbas do fundo de saúde. Ele nega.

Em alusão ao processo de impeachment, o vice-prefeito Gustavo Paim (PP), que também concorre à prefeitura, disse ter sido “traído” por Marchezan, pois se uniram em 2016 para combater a corrupção. Ao se intitular político da causa animal, Rodrigo Maroni (Pros) apareceu em seus 14 segundos segurando seu buldogue, que se chama Pepe em homenagem ao ex-presidente uruguaio José “Pepe” Mujica. Líder nas pesquisas, Manuela D’Ávila (PCdoB) abriu a propaganda eleitoral destacando sua ligação com Porto Alegre.

Salvador

No primeiro programa eleitoral de TV em Salvador, três dos quatro principais candidatos aproveitaram para, além de se apresentarem ao eleitorado, mostrar que tiveram um passado difícil e sem facilidade na vida. Bruno Reis (DEM), candidato apoiado pelo atual prefeito, ACM Neto (DEM), e que é associado pelos adversários às elites, Olívia Santana (PCdoB) e Major Denice (PT), ambas da base do governador Rui Costa (PT), de modos distintos, optaram pela narrativa de mostrar esforços para superar desafios de vida até chegar à candidatura pela prefeitura de Salvador. Já o candidato Pastor Sargento Isidório (Avante) apareceu com a Bíblia em mãos – boa parte de seu eleitorado é evangélico – e optou por exaltar seu trabalho à frente da Fundação Dr. Jesus, fundada por ele e que cuida de dependentes
químicos.

Curitiba

O primeiro dia de campanha eleitoral para a prefeitura de Curitiba no rádio e na TV foi marcado por apresentações pessoais e tentativa de humanizar a linguagem, usando termos como “empatia” e “igualdade”. No entanto, a candidata Christiane Yared (PL) se apresentou e mostrou imagens do acidente que matou o filho, Gilmar, há dez anos. Dono do maior de tempo de TV, com três minutos e 16 segundos, o prefeito Rafael Greca (DEM) falou sobre sua experiência e as ações da prefeitura durante a pandemia e incluiu depoimento de uma pessoa tratada na rede pública.

Candidato em Porto Alegre, Rodrigo Maroni (Pros) estreou ao lado de seu cachorro. / Foto: Divulgação