Cidadania Destaques

Municípios da região podem adotar programa de proteção a animais

Por Nathália Araújo / Redação

27 de agosto de 2020

Depois de ganhar sua carrocinha adaptada, Bob consegue se locomover enquanto recupera de lesão. / Foto: Divulgação

PASSOS – Os municípios da região poderão adotar o Programa Regional em Defesa da Vida Animal (Prodevida), idealizado pela Coordenadoria Estadual de Defesa da Fauna (Cedef), do Ministério Público (MP). A reunião virtual para discutir a viabilização do projeto, que tem como objetivo proteger animais vítimas de abandono e maus-tratos, ocorreu nesta quarta-feira, 26. Participaram da discussão representantes da Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) e do próprio MP.

Conforme Jorge Alexandre Andrade Rodrigues, promotor da 7ª Vara de Justiça do Fórum da Comarca de Passos, a conferência definiu como serão as etapas da proposta, incentivando a participação dos municípios.

A intenção é que os membros da Ameg assinem o termo de integração, para que, deste modo, o poder público adote diversas medidas para a tutela dos animais, visto que as partes envolvidas poderão contar com suporte técnico especializado, oferecido pelo próprio projeto”, explicou.

Rodrigues também ressalta a importância da criação de políticas públicas a favor dos animais, especialmente os que vivem nas ruas.

Isso é fundamental, uma vez que é necessário manter os cuidados e tratamentos adequados, de modo especial com a alimentação e medicamentos. Todo esse empenho também refletirá na vida da comunidade, porque as pessoas terão menos preocupações e mais segurança sobre o assunto”, completou o promotor.

Outra medida da Ameg a favor dos animais foi a criação do Castramóvel, um veículo habilitado para realizar os procedimentos de castração em cachorros e gatos, e que atende os municípios que são membros da associação.
Com a intenção de proteger os animais, o prefeito Carlos Renato Lima Reis, o Renatinho Ourives, assinou o documento que aprova a vigência da Lei 3281/2017, estabelecendo a aplicação de multas e sanções administrativas para quaisquer pessoas que descumprirem as determinações da norma. Em âmbito nacional, a Lei de Crimes Ambientais, publicada no Diário Oficial da União, ainda institui a detenção pelo período de três meses a um ano.

ONGs pedem conscientização

PASSOS – Respostas como “estou me mudando”, “não tenho espaço no apartamento” ou “faz muita sujeira” são as principais frases ditas por quem desiste da adoção de seus animais de estimação. De acordo com organizações não governamentais (ONGs) de Passos, durante a pandemia os casos de abandono se tornaram ainda mais comuns, uma vez que as pessoas estão enfrentando problemas financeiros e passando mais tempo em casa, o que exige maior atenção para com os animais.

Apesar disso, enquanto muitos não se preocupam com a situação dos animais, outros tentam reverter esse quadro. É o caso de Rogério Rodrigues Alves, cabo da Polícia Militar, que encontrou um cachorro debilitado na rodovia MG-050 e resolveu adotá-lo.

Se eu não tivesse feito o resgate, provavelmente o Bob morreria, pois ele já não conseguia mais andar. Levei ao veterinário e descobri uma lesão nas patas traseiras que levaria tempo para ser curada. Então, meu irmão, pronto para ajudar, foi até Carmo do Rio Claro e comprou os materiais para fazer uma carrocinha, que funciona como uma cadeira de rodas. Assim o meu novo amigo está mais saudável e pode se deslocar”, contou.

Quem costuma ver casos semelhantes ao de Bob é Cláudia Piacezzi, vice-presidente da ONG SOS Patas, que atua especialmente na assistência a animais feridos e abandonados.

Em média, atendemos quatro animais por dia e temos muitos membros participantes divididos por toda a cidade. Contudo, não contamos com nenhuma verba, ainda não temos o auxílio dos órgãos públicos, e os trabalhos do grupo são financiados por doações. Cuidamos de animais de várias espécies e que precisam de ajuda, mas esse problema será resolvido apenas quando as pessoas tiverem consciência sobre a importância da vida de outros seres”, explicou.