Destaques Geral

Movimento de passageiros cai 90% na rodoviária de Passos

9 de junho de 2020

A PANDEMIA DA COVID-19 REFLETIU QUASE 100% NA QUEDA DE PASSAGEIROS DE ÔNIBUS NO TERMINAL RODOVIÁRIO DE PASSOS. / Foto: Helder Almeida

PASSOS – Reaberto há 13 dias, o Terminal Rodoviário Tancredo de Almeida Neves, em Passos, está com movimento de passageiros de apenas 10% do volume registrado antes da pandemia do novo coronavírus. De acordo com o gerente administrativo do terminal, Luiz Gonzaga Pereira, sete empresas que atuam no transporte intermunicipal de passageiros colocaram veículos à disposição, mas alegam que os ônibus estão rodando vazios.

“Não sei sé receio de contaminação pelo vírus ou o povo está sem dinheiro. O certo é que não estão arrecadando para pagar as despesas. Ao menos, nas plataformas não se vê ninguém embarcando ou desembarcando nos ônibus”, comentou.

Gonzaga revelou que estão operando diariamente as viações União, São Bento, Gardênia, Santa Cruz, Sudoestino, Motta e Gontijo. A André Tur que roda de Passos ao Rio de Janeiro, além da Martins, que faz linha Passos a Guapé ainda não voltaram a rodar. A Pluma, que sai de Belo Horizonte em direção a Foz do Iguaçu (PR), passa pelo terminal de dois em dois dias.

Os guichês e os postos de encomendas estão abertos diariamente. A lanchonete abre às 9h, com intervalo de quatro horas para o almoço, e fecha por volta das 18h. A banca de jornais continua fechada. Para usar os sanitários não é cobrada nenhuma taxa”, contou Gonzaga.

Depois do fechamento do terminal por meio de decreto da prefeitura, representantes das empresas que operam no local fizeram, há cerca de um mês, uma manifestação em frente à sede da administração municipal solicitando a reabertura, ao menos parcial do terminal. Após reunião com o prefeito Carlos Renato Limas Reis, o Renatinho Ourives, a prefeitura divulgou um decreto, em 26 de maio, autorizando a retomada das operações. Desde o início da pandemia causada pelo coronavírus, a rodoviária ficou fechada por 65 dias.

Horários

A Expresso União, que transporta passageiros para São Paulo e Ribeirão Preto, está com três horários diários, mas a demanda não atinge 10% do que era antes da crise causada pela covid-19. “Parando, quase parado. Média de cinco passagens vendidas por dia no guichê”, afirmou o assistente de agência, Alan Costa Silva.

Estava muito ruim, mas parece que deu uma melhorada a partir deste fim de semana por que estão reabrindo aos poucos a rodoviária de Ribeirão Preto”, comentou Rondenis Rangel, agenciador da Viação São Bento que também faz a linha Passos a São Paulo duas vezes por dia. “A situação não é nada boa”, sintetizou José Castro, funcionário da Viação Gardênia no guichê do terminal de Passos. São dois horários diários para Belo Horizonte.

Os ônibus da empresa que fazem a linha até Franca (SP) foram suspensos porque as rodoviárias das cidades que fazem parte do itinerário estão fechadas.

Táxis

O movimento de passageiros que utilizam o serviço do ponto livre de táxis do terminal rodoviário passense também não é nada bom. Quem garante é Ronilton da Silva, de 55 anos, profissional há 23 anos.

Está péssimo, fraco. Dos cinco carros disponíveis aqui, aquele que roda três vezes por dia deve louvar a Deus. Há pouquíssimas pessoas que voltaram a utilizar os táxis, além disso ainda uma enorme quantidade dos veículos de mobilidade urbana por aplicativos na cidade nos prejudica demasiadamente” justificou.