Destaques Dia a Dia

Missão Gratificante

POR SEBASTIÃO WENCESLAU BORGES

6 de janeiro de 2021

No próximo domingo 9 de agosto é dia de telefonemas, chamadas de vídeo, e se fosse em outras épocas, presente e abraço, pois será comemorado o Dia dos Pais! E como esse dia sempre foi importante! Até mesmo para aqueles que não precisavam enfrentar lojas para comprar seu presente para o Pai que já partiu, tendo somente as recordações e a saudade, sabendo que o Pai está em outro plano olhando por ele. “Se você entrar no Céu antes que eu, avisa meu Pai que estou com saudade.” (Mariana Godoy)

Segundo a história assim nasceu o Dia dos Pais: Em 1909 na cidade de Washington, nos Estados Unidos, uma menina chamada Sonora Smart ao participar de um momento dedicado às Mães pensou em uma celebração especial para os Pais, e com a ideia formulada requisitou o auxílio de uma entidade de jovens cristãos para que o Dia dos Pais fosse criado em sua cidade, para demonstrar todo o orgulho que ela sentia de seu Pai William Jackson Smart. Ele havia perdido a esposa em 1898, que faleceu ao dar a luz ao sexto filho, William criou sozinho os seis filhos, o que motivou Sonora. Assim o primeiro Dia dos Pais foi o dia do aniversário do pai de Sonora. Daí em diante, o Dia dos Pais passou a ser celebrado em várias regiões do mundo em datas diferentes.

No Brasil, a ideia de se estabelecer o Dia dos Pais veio do publicitário Sylvio Bhering, sendo comemorado pela primeira vez em 16 de agosto de 1953, dia de São Joaquim, considerado o patriarca da Família. Posteriormente a data foi deslocada para um domingo, o segundo domingo do mês de agosto, e assim permanece até os dias de hoje.
Para muitos, como eu, este dia chega trazendo a saudade com mais intensidade. “Um Pai muitas vezes suplanta a sabedoria de mais de uma centena de mestres.” (Cecília Antunes)

Do meu, vejo seu aspecto jovem, tranquilo, me mostrando a marca da responsabilidade em uma época de um tempo lento, singelo, onde guardo eternas lembranças de um menino feliz com muitas imagens de seu Pai e gestos que marcaram a infância: No meu primeiro dia de aula escolar, a alegria dele me esperando na porta da escola, aprumava na direção do vento uma bonita raia (pipa) me ensinando a domina-la no ar, assistindo, torcendo, orientando e me ensinando a jogar bola naqueles rachinhas nas ruas que levantavam poeiras, ou me ensinando a criar um brinquedo.

Explicando o perigo e os cuidados em nadar em córregos, me levando ao bar da esquina e comprando um picolé, me servindo um pedaço de goiabada com queijo, me colocando em cima de um cavalinho num parque na Barrinha, me levando a assistir uma estreia de circo, e em suas pescadas me ensinando a fisgar um peixe. “A saudade muitas vezes nos faz sentir vontade de voltar ao passado.

O verdadeiro Pai amigo nem sempre é aquele que apoia o filho em todas suas atitudes, mas sim aquele que, por amar, tem coragem de apontar o que é melhor e o mais certo. Dizer “sim“, mas também saber a hora certa de “puxar a orelha” mostrar para o filho uma orientação firme, serena, vendo que o filho ainda está “verde” e você pode ajuda-lo a amadurecer, lembrando que a cada dia é possível levantar, continuar a luta e vencer!

Seja velho ou moço, o Pai espera que o melhor presente seja o carinho e o amor que o filho ás vezes esconde por ter que superar a barreira da timidez e mostrar ao Pai o quanto ele ainda é importante em sua vida. Lembrar os conselhos nas primeiras saídas à noite, dos exemplos para ser “gente” e começar a viver uma vida adulta. Não importa se o Pai é jovem, ou se o cabelo já está branco, ou se já caiu, ele sempre tem que possuir as palavras firmes, suaves, desempenhar com amor e dedicação a paternidade dessa árdua tarefa, mas gratificante e sublime missão.
Parabéns a todos os Pais! Saudades do meu, com lembranças gostosas. É o tempo passando e a gente “Memoriando”!