Destaques Esporte

Ministérios Públicos e Defensoria pedem suspensão de jogos do Mineiro

10 de abril de 2021

Divulgação (Agência Brasil)

BELO HORIZONTE – A suspensão de jogos de futebol em Minas Gerais foi recomendada pelos Ministérios Públicos do Trabalho (MPT/MG), Federal (MPF/MG) e do estado de Minas (MPMG); e pela Defensoria Pública da União (DPU).
O documento foi encaminhado à Federação Mineira de Futebol (FMF) e à Secretaria de Saúde do Governo de Minas Gerais.

O Campeonato Mineiro terá a nona rodada disputada neste fim de semana, inclusive com o clássico Cruzeiro x Atlético-MG agendado para domingo. A Federação Mineira se reuniu para definir uma posição. Já a Secretaria de Saúde (SES-MG) informou que “está avaliando a situação”.

Que sejam suspensas as partidas de qualquer campeonato de futebol, ‘seja nacional, regional, estadual ou local; feminino ou masculino; profissional ou das categorias de base e intermediárias”, de acordo com o documento. Pela recomendação das autoridades, o futebol só deve ser retomado “quando a situação epidemiológica permitir.” Caso a recomendação não seja acatada, os órgãos responsáveis pelo ofício avisam que podem tomar “providências administrativas e judiciais”.

Em nota, o Ministério Público e a Defensoria da União se baseia nos “níveis alarmantes de disseminação da Covid-19 nas últimas semanas, que provocaram um aumento da média móvel de mortes diárias pela doença e levaram à decretação de medidas restritivas às atividades não essenciais em diversos estados brasileiros.

O relatório apresentado à FMF e à Secretaria de Saúde de Minas Gerais, de acordo com as autoridades, cita dados divulgados pela imprensa sobre casos de Covid-19 nos envolvidos com o futebol. “320 casos de Covid-19 entre atletas e equipes técnicas durante a Série A do Campeonato Brasileiro de 2020, bem como sucessivos surtos nos clubes de futebol ao longo do campeonato que indicam “insuficiência dos protocolos e medidas adotas pela CBF e pelas Federações para evitar o contágio dos profissionais envolvidos na competição.

Por fim, Ministério Público e a Defensoria da União diz que o “descumprimento das medidas recomendadas poderá implicar na adoção de providências administrativas e judiciais contra os responsáveis que se mantiverem inertes em relação à situação apresentada na recomendação.