Destaques Geral

Marinheiros prestam homenagem às vítimas da tragédia de Capitólio

Por Stéfany Dias /Especial

14 de janeiro de 2022

Foto: Divulgação.

CAPITÓLIO – Marinheiros e proprietários de lanchas prestaram uma homenagem às dez pessoas que morreram no acidente ocorrido nos cânions de Capitólio no último sábado. O evento teve início na Ilha da Fantasia ao meio dia e contou com a presença do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Marinha, Defesa Civil e familiares das vítimas.

A cerimônia começou com agradecimentos aos órgãos competentes, profissionais e pessoas que estavam no local e que participaram do resgate após o acidente e demonstração de solidariedade às vítimas.

Após os agradecimentos, os pilotos das cerca de 70 embarcações que participaram da homenagem diminuíram a velocidade dos barcos e fizeram um cortejo até a entrada dos cânions. Na cerimônia, eles também fizeram orações e executaram o Hino do Silêncio.

Ao final da execução do hino, os presentes jogaram rosas brancas na água, fizeram um minuto de silêncio e soltaram balões brancos, seguido por uma salva de palmas ao final da homenagem. As pessoas que participaram estavam todas de roupa branca em solidariedade às vítimas.

Marcos Adelmo Barbosa Santos, dono de embarcações e um dos organizadores do evento, disse que a homenagem partiu dos marinheiros e proprietários de lanchas e que todos contribuíram de alguma forma.

“Nós, empresários e marinheiros, sentimos muito essas perdas que envolveram dez vidas. Inclusive de um amigo que estava conosco todos os dias, um marinheiro e pessoa de coração bom. Prestar essa homenagem não vai trazê-los de volta mas, com certeza, ficarão guardados em nossos corações ainda mais”, afirmou.

Para Santos, todos que dependem, de uma forma ou outra, do turismo náutico de Capitólio acreditam no retorno normal do turismo, pois segundo ele, é um grupo muito grande de pessoas.

“Fatos semelhantes já aconteceram em outros estados. As autoridades sabem da necessidade de um retorno consciente das atividades náuticas e estão se empenhando para que isso ocorra”, disse ele.

De acordo com Adelmo, os barcos comerciais já possuem todos os equipamentos de salvatagem necessários, baseado nas normas, com fiscalização constante da Marinha. Segundo ele, mais formas de segurança deverão ser implementadas, principalmente nas áreas de fluxo de turistas.

“Quando a abertura for completa, será limitado a quantidade de embarcações e o tempo de contemplação dos atrativos, também a proibição de uso de equipamentos sonoros. Essas informações já constam nos decretos”, disse.

Capitólio, Barra e Glória assinam acordo sobre novas regras no turismo

CAPITÓLIO – Segundo Adelmo, a navegação nos cânions de Capitólio está restrita. A Prefeitura Municipal de Capitólio, publicou um decreto que impede a navegação na área do acidente. As restrições também servem para os atrativos da Cachoeira da Cascata, divisa de Capitólio e São João Batista do Glória, e Vale dos Tucanos, que fica no município de São José da Barra. Estas cidades também divulgaram um decreto com as restrições.

“A área dos cânions está sob controle da Marinha até a abertura definitiva, que dependerá da conclusão das investigações que estão em andamento”, afirmou ele.

No dia 12 de janeiro deste ano entrou em vigor um novo decreto válido para os municípios de Capitólio, São José da Barra e São João Batista do Glória, que assinaram um termo de acordo a respeito das novas regras no turismo.

Foi realizada uma visita técnica pela Defesa Civil de Capitólio com acompanhamento de representantes da Defesa Civil Regional e Estadual, chefes do Poder Executivo e membros do Poder Legislativo. Ficou estabelecida a interdição temporária do atrativo, sendo permitido o acesso somente em pontos não cercados por paredões, como Lagoa Azul, Cachoeirinha da Ilha, bares flutuantes e outros.

Conforme o documento, na Cascatinha, não serão permitidos atividades de banho, embarcação fundeada na entrada e dentro do atrativo, som mecânico de qualquer natureza e em qualquer volume, com permanência no local de no máximo 10 minutos.

A velocidade máxima permitida para as embarcações dentro do atrativo será de três nós, com apenas duas embarcações por vez no canal. As embarcações de lazer devem seguir o mesmo protocolo.