Destaques Música

Marcos Vinícius se apresenta no 11º ‘O Charme do Violão Mineiro’

Por Adriana Dias / Da Redação

19 de julho de 2021

Marcos Vinícius é violonista, compositor, didata e possui material para o instrumento publicado em diversas casas editoriais. / Foto: Divulgação

O convidado para a décima primeira entrevista do ciclo ‘O Charme do Violão Mineiro’ desta terça-feira, 20, é o violonista, compositor e didata Marcos Vinícius – mineiro de Congonhas. Este ciclo é apresentado pelo violonista, professor e produtor cultural Celso Faria.
Realizado de forma remota, ele teve início no dia 11 de maio de 2021, e ocorrerá sempre às terças-feiras, às 20h30, no canal do YouTube do violonista e nas redes sociais do Grupo Folha. Assista pelo link: http://bit.ly/marcos-vinicius-violao.

O interesse de Marcos Vinícius pelo violão se deu ainda criança, na sua cidade natal. Foi aluno de violão de Maria Rachel, José Lucena Vaz, Léo Soares e Henrique Pinto, no Brasil e Aldo Minella, Oscar Ghiglia e Ruggero Chiesa, na Itália. Em 1984, Vinicius foi vencedor do ‘III Concurso Nacional Villa-Lobos’ (Vitória-ES).

Desde muito jovem, Marcos Vinicius empreendeu sua carreira, tendo tocado em diversas cidades do Brasil e em muitos países. Ainda em Belo Horizonte, editou a revista ‘Violão América’ – com conteúdo especializado para o instrumento e fundou a ‘Belo Horizonte Guitar Orchestra’, com seus mais destacados alunos.

Vinícius possui material para o instrumento publicado em diversas casas editoriais, como a Ricordi (Brasil), a Carrara (Itália), a Preriferia Sheet Music (Espanha), a Corda Music Publications (Inglaterra) e a Doz Publications (Canadá). Em 1992, Marcos Vinicius recebeu o prêmio ‘Solista do Ano’, com a sua performance do ‘Concierto de Aranjuez’, de Joaquin Rodrigo, junto à Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro.

O violonista foi agraciado com o prêmio ‘Bolgery Melody’, pelo conjunto de sua obra autoral. Vinícius possui sete CD’s como intérprete de violão e um álbum de composições autorais, também para o instrumento, onde atuou como produtor. Atualmente é presidente da Academia de Violão Clássico de Milão (Itália) e professor do Curso de Alto Aperfeiçoamento de Violão Clássico na Academia Internacional de Música de Praeneste, de Roma e da Palestrina.