Destaques Política

Marcelo Morais toma posse e enfrenta o fim de contrato no transporte público

5 de janeiro de 2021

Diego Oliveira fez questão de realizar o culto com a presença dos padres Luiz Castro e Sandro Henrique e do pastor, Leandro Sanjulião, no prédio da prefeitura de Passos. / Foto: Divulgação

PASSOS – Mesmo com a transição sendo realizada nos últimos 15 dias, os prefeitos das cidades da região que foram eleitos estão realmente tomando ‘pé da situação’ somente nesta segunda-feira, 4, quando assumem seus cargos, empossam os secretários e se alinham às Casas Legislativas. Em Passos, Diego Oliveira cumpriu a promessa feita em entrevista à Folha, de que seu primeiro ato seria um Culto Ecumênico. O prefeito de São Sebastião do Paraíso, Marcelo Morais, se viu às voltas, já no primeiro dia, com o fim do contrato de transporte público.


Você também pode gostar de:

Diego assume com R$85 milhões em caixa, segundo Renatinho

Diego Oliveira fez questão de realizar o culto com a presença dos padres Luiz Castro e Sandro Henrique e do pastor, Leandro Sanjulião, no prédio da prefeitura de Passos. Estiveram presentes com ele os secretários já nomeados, os servidores públicos e diversas autoridades para realizar um início de gestão abençoada.

De acordo com a assessoria de Comunicação do prefeito de Passos, na sequência do culto, o chefe do Executivo fez uma visita ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). O prefeito também fiscalizou as obras em andamento e a limpeza urbana. Fez reuniões de alinhamento com os secretários.

O prefeito Marcelo Morais, de São Sebastião do Paraíso, se reuniu na manhã desta segunda-feira, 4, com a equipe técnica da secretaria Municipal de Segurança Pública, Trânsito, Transporte e Defesa Civil, com representantes da empresa que presta o serviço de transporte coletivo em São Sebastião do Paraíso, a Viação Leopoldinense, e também membros do setor de licitação, para tratar sobre a atual situação do transporte coletivo no município, cujo contrato vence nesta data.

De acordo com o prefeito, a renovação de contrato com a empresa, até que os trâmites envolvendo o processo licitatório estejam finalizados, está condicionada à Viação Leopoldinence regularizar a situação documental junto ao município. “Não iremos renovar contrato com nenhuma empresa que não esteja com a documentação regularizada”, afirmou.

Segundo o prefeito, caso não haja renovação, o município incorre em ficar sem transporte alguns dias.

É necessário que a população saiba que, caso fique sem transporte coletivo no município, foi devido à falta do cuidado de se renovar isto antes que vencesse o contrato no primeiro dia do meu mandato. Causa estranheza um contrato tão importante, justamente no primeiro dia de mandato, mas vamos resolver de forma exemplar e muito transparente para que todos saibam o que está acontecendo”, ressaltou.

Durante a reunião, Morais manifestou o desejo de resolver a questão o quanto antes. Ressaltou também sua intenção de oferecer à população um transporte coletivo no município que passe a funcionar em sistema integrado, ou seja, um bilhete único que possa permitir ao cidadão chegar ao seu destino sem que precise pagar duas vezes pelo transporte. “No meu mandato não haverá transporte coletivo sem qualidade ao cidadão”, concluiu.