Cultura Destaques

Mapa cobre edital de ajuda aos artistas em faixa de protesto que ‘desapareceu’

14 de julho de 2020

A faixa cobrando o edital emergencial de ajuda aos artistas produzida por integrantes do Mapa foi colocada por volta das 5h e desapareceu no início da tarde. / Foto: Divulgação

PASSOS – O sumiço da faixa. Poderia ser o nome de uma das cenas elaboradas por artistas de Passos, principalmente em tempos de pandemia do coronavírus, mas não é. O Movimento dos Artistas de Passos (Mapa) fez uma manifestação pacífica e respeitosa na madrugada desta segunda-feira, 13, com a colagem de lambe-lambe em alguns pontos da cidade e a instalação de duas faixas e um banner na praça do Rosário. As peças cobravam a assinatura do edital de ajuda financeira aos artistas passenses. Pois, que no meio do dia, a faixa desapareceu.

Uma reunião, sem agendamento – em face do sumiço da faixa -, foi realizada às 15h com a Chefe de Gabinete, Olga Bastos para tentar esclarecer o que estava acontecendo. Um grupo formado por membros do Mapa buscaram entendimento, uma vez que alguns haviam sido avisados pelo Departamento de Obras para a retirada da faixa por se tratar de local de tombamento, no caso a fonte luminosa é um bem tombado pelo Patrimônio Histórico.

Representaram o Mapa nesta reunião Felipe Terra, Maurílio Romão, Pietro Garibaldi e os irmãos Edu Silva e Pedrinho Silva.

Nós queremos saber, primeiro, onde está a faixa e que ela volte para o lugar onde foi colocada. E, claro, o motivo pelo qual foi retirada. Também queremos saber porque ainda não está em vigor o edital para auxílio aos artistas”, disseram.

O secretário municipal de Cultura, Carlos Jorge Ribeiro, o Caju, foi convocado por Olga Bastos, uma vez que seu nome foi citado como tendo sido o responsável por pedir junto ao departamento de Obras a retirada da faixa.

Eu pedi para que verificassem a legalidade do banner na porta do Palácio da Cultura e também dos lambes aplicados na parede do prédio e nas escadas. Mas disseram que estava certo. Nem vi a faixa. Mas vamos providenciar para que encontrem. E, sobre o edital, demos entrada na Procuradoria no dia 9. É um edital todo novo para nós e tem muitos detalhes, mas é de interesse nosso que saia o mais rápido e ainda que sirva como espelho para a Lei Aldir Blanc e também que fique para as próximas administrações”, disse Caju.

Olga se comprometeu, junto com o secretário Caju a sentarem nesta terça-feira, 14, junto com o Procurador, que, segundo o prefeito Carlos Renato Lima Reis, o Renatinho Ourives, que entrou rapidamente na reunião, deverá ser o atual Controlador do Município e o Controlador o atual procurador.

No final da reunião, os representantes do Mapa disseram ter havido um avanço.

Pensamos que foi apresentado um cartão de visitas do Mapa, mostramos a nossa indignação com a postura frente à retirada da faixa, uma vez que a justificativa de que a praça é patrimônio não procede, uma vez que ali mesmo têm banners gigantes de shows diversos, vendas de mercadorias e serviços. Também nos desabafamos com relação ao fato do secretário Caju explorar o edital como sendo ideia da administração. O edital só passou a ser pensado depois que o Mapa se movimentou. Só queremos que não haja o desmantelamento de um movimento que nunca aconteceu na história de Passos. O movimento é legítimo, responsável e veio pra ficar”, disseram de forma bastante resumida.

Na madrugada

Na madrugada da segunda-feira diversos artistas de Passos se reuniram para realizar as ações. Elas aconteceram com uma equipe na praça Geraldo da Silva Maia, a praça do Rosário instalando as faixas em frente à prefeitura e outra turma fazendo a colagem dos lambes em alguns pontos da cidade. Foram feitos 200 cartazes em formato A4 para serem fixados cobrando o edital.