Destaques Do Leitor

Mais um Adélio

8 de julho de 2020

Na Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores, em Artur Nogueira, região de Campinas, no Estado de São Paulo, um padre, durante a homilia, chamou o presidente Bolsonaro de “bandido”.
Independentemente de gostar do presidente ou não, o que chama nossa atenção é o nome do padre: Edson Adélio Tagliaferro.

Mais um Adélio que odeia o Bolsonaro. Espero que ele não seja exímio no uso de alguma arma, além da língua ferina. Agora, a bem da verdade, foi o STF que tirou a autoridade do governo federal com relação ao combate à pandemia. Autorizou estados e prefeituras tomarem as providências. O governo federal entrou com o dinheiro e alguns governantes fizeram a farra.

Os governadores de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul souberam usar o dinheiro com seriedade, enquanto o de São Paulo e do Rio de Janeiro extrapolaram. Foi o que soubemos até pela grande mídia. Dá para entender? Mas, não disseram para o padre esquerdista, provavelmente formado na teologia da libertação,  que a culpa maior do alastramento da pandemia foi do STF, além de uma parcela indisciplinada da população. Não falaram para ele que o número de pessoas que se curaram e estão se curando é maior que o número de mortos.

Não falaram para ele que as estatísticas estão camufladas. O sujeito idoso morre de ataque cardíaco e dão como morte por coronavírus, para receber mais dinheiro. Agora, querem jogar tudo no colo do presidente?! Concordem comigo ou não, a verdade é esta. Quero só ver a atitude da Igreja com relação a esse padre, já que Ela tem alguns (ou vários?) de seus bispos e padres esquerdistas também. Infelizmente!

Professor Luiz Guilherme Winther de Castro – Carmo do Rio Claro/MG

Tucanos

A Lava Jato chegando aos tucanos. Mas é mais fácil encontrarmos a vacina da covid-19 do que um tucano ser condenado pela Justiça.

Marcos Barbosa – Casa Branca/SP