Destaques Geral

Mais de 3 mil de pessoas na região já declararam imposto

15 de março de 2021

Foto: Agência Brasil

PASSOS – Entre os 27 municípios da região, a Receita Federal recebeu, até quarta-feira, 10, um total de 3.478 declarações do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), ano-base 2020. Ainda dentre as localidades próximas, não foi possível obter os números de oito cidades que, conforme a Delegacia da Receita Federal do Brasil, em Varginha, provavelmente não tiveram declarações entregues até a semana passada.

Com o maior total de declarações computadas, 1.408 pessoas físicas em Passos registraram seus ganhos. Em sequência, também até a última semana, 764 declarações foram inscritas em São Sebastião do Paraíso e 299 em Itaú de Minas.

Entre os municípios com menor número de declarações, estão Fortaleza de Minas (31), Bom Jesus da Penha (12) e Claraval (7). Capitólio, Doresópolis, Jacuí, Monte Santo de Minas, Nova Resende, Pimenta, Piumhi e São Roque de Minas não registraram informações.

O Imposto de Renda corresponde ao tributo que o governo cobra de pessoas físicas e jurídicas, residentes no país ou no exterior, desde que tenham fonte de renda gerada no território que exige o pagamento. As declarações referentes ao tributo podem ser feitas por meio de um formulário próprio fornecido pela Receita Federal.

Caso o cidadão preencha os critérios que obrigam a declaração do IRPF, mas não o declare, o mesmo pode pagar multa por atraso e ter outros impedimentos, tal como o Cadastro de Pessoa Física (CPF) bloqueado, o que impede a renovação de passaporte, prestar concurso público ou fazer empréstimos, por exemplo.

Para descobrir se há pendências no Imposto de Renda, o interessado deve acessar o software da Receita Federal, selecionar o campo “pendências” e verificar os sinais de informações incompletas. Até 30 de abril, devem declarar o IRPF os contribuintes que receberam auxílio emergencial e tiveram rendimentos acima de R$22.847,76; bem como quem obteve rendimentos tributáveis (como salário) que, somados, passaram de R$28.559,70 em 2020.

Também estão na lista de obrigatoriedade aqueles receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte (como de poupança ou saque do FGTS) de mais de R$40 mil e quem negociou ações na bolsa de valores, ou teve receita de mais de R$142.798,50 em atividade rural.