Destaques Esporte

Mães de atletas criticam CPN por falta de apoio em torneio

Por Ézio Santos/ Especial

24 de agosto de 2021

Foto: Divulgação.

PASSOS – O desinteresse da direção do Clube Passense de Natação (CPN) em apoiar a equipe de natação formada por crianças entre oito e 12 anos que representou o município na primeira etapa de um torneio a âmbito nacional no último final de semana no Rio Janeiro, provocou revolta total dos pais atletas. Para não provocar frustração nos filhos, a maioria teve que se sacrificar para custear em torno de 80% das despesas.

Para que 10 integrantes da escola da natação do clube pudessem competir no Festival Sudoeste da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) para clubes mirim e petiz, troféu Ivo Lourenço, no Parque Aquático do Clube de Regatas Vasco da Gama, no Rio de Janeiro, cada família teve de desembolsar em torno de R$ 700 por atleta, para pagar o fretamento de um ônibus, hospedagem e alimentação. O CPN se dispôs a bancar apenas as inscrições dos nadadores no valor de R$ 2.300.

A mãe de João Gabriel Macaia, de 11 anos, é uma das mais revoltadas com a situação.

“O clube está desestimulando os meninos a praticar a natação, porque só treinamentos ninguém quer. Todos também desejam aprender como competir, ganhar medalhas, troféus etc. Afinal eles representam o CPN e Passos. Eles amam a natação. Parece que a diretoria não vê isso, e gasta dinheiro com outras coisas menos importantes. Dá impressão que ela quer até dispensar o treinador Valcir Marinho Costa, o Dida, que teve tudo pago pelo CPN. Os dirigentes dão sorte porque não tem outra escola de natação em Passos para haver concorrência. Do contrário, os alunos já tinham saído”, disparou Sandra Renata da Silva.

Sem o apoio suficiente do CPN para disputar torneios em outras cidades, as famílias passaram a promover eventos entre amigos, vender alimentos nas ruas, rifas e até pedindo dinheiro para parentes mais próximos, como avós e tios.

“Uma vez organizei um porco a paraguaia para que a equipe disputasse um torneio no Espírito Santo. Na época, o diretor de Esportes, prefiro nem citar o nome, me disse que se fosse necessário, pagaria as despesas dos meninos até para competir no Japão. Devido ao sucesso dos garotos no Rio de Janeiro, já estamos pensando em como conseguir dinheiro para custear as despesas na segunda etapa do festival no mês de novembro, em Bauru (SP)”, completou Sandra.

Os nadadores gêmeos Pedro Gabriel e Maria Eduarda, de 12 anos, são filhos de Kênia Barbosa e que também se diz indignada.

“Não o mínimo de reconhecimento por parte do CPN, não valorizam os meninos, o Dida, e a escola de natação, que por onde vão, levam o nome da cidade. É triste ver isso acontecer e o clube não pensar no futuro deles, que um dia pode se tornar um atleta de renome internacional. Não queremos que paguem as despesas dos acompanhantes quando viajam com seus filhos, mas as relacionadas ao torneio como inscrição, hospedagem e alimentação, é obrigação da diretoria. O transporte concordamos em ratear numa boa ou viajar separadamente. Desta vez estou aborrecida mesmo”, disse a mãe bastante irritada.

Somando os gastos dos gêmeos e seus pais, foram aproximadamente R$ 2.500 com a viagem que começou terça-feira, dia 17, e só terminou na madrugada de ontem, hotel e alimentação.

“É natural esse valor em razão de tudo estar caro, criança pede o que vê pela frente, e todos que foram aproveitaram a cidade para passear, mas o clube tinha que bancar ao menos as despesas relacionadas ao torneio. Algumas mães foram na câmara e prefeitura municipais pedir ajuda para os atletas, mas não deu certo. Eu contrai um empréstimo. E ainda teve gente da imprensa local falando por aí que elas foram pedir o transporte para nós, acompanhantes. É absurdo!”, revelou enfurecida Kênia

A Assessoria de Comunicação do CPN informou que o assunto é considerado de natureza interna pela diretoria e prefere não se manifestar.

Técnico diz que desempenho da equipe correspondeu

PASSOS – Alheio ao assunto, o técnico Dida considerou fantástico o desempenho da equipe ao longo de quase 25 anos participando de competições.

“Pelo nível do torneio, eles foram extraordinários. Destaco o Bento Lemos Silva, que faturou o troféu de atleta mais eficiente na categoria petiz II (12 anos), e a Larissa Rachid Gomes, medalha de ouro e nadadora mais eficiente no pré-mirim (8 anos). Os tempos de provas da garotada também foram surpreendentes. Os 10 estão de parabéns, porque alguns estão no clube desde os seis meses de idade. Estou felicíssimo com mais um show dos meus alunos”, disse emocionado.

Depois de três dias de disputa, o CPN trouxe 58 medalhas – 41 de bronze, oito 8 de prata, e nove de ouro – obtendo o 8º lugar na categoria mirim com três nadadores; 6º na petiz (seis atletas), e 5º colocado na pré-mirim, sendo que Larissa Gomes foi a única representante de Passos. Os demais nadadores que competiram no Rio são: Giovana Freire Maldi, Nina de Angelis Lemos, Daniel Jaime, Pedro Guimarães e Rafael Bitencurt Lemos.