Destaques Música

Luíza Sonza revela seus sentimentos

21 de julho de 2021

‘Doce 22’ reflete sobre as emoções e os aprendizados de 2020. / Foto: Divulgação

Quero ser a protagonista da minha vida”, anuncia Luísa Sonza sobre o seu novo álbum Doce 22 lançado domingo, 18, como marco de despedida da idade. Segundo a própria cantora, sua obra enaltece os sentimentos vividos por ela durante o ano de 2020, que resultaram no segundo disco de sua carreira.

No ano passado inteiro eu fui passando por cima de tudo, porque não tinha outra opção, tive de aguentar. Só que agora, estou começando a ver as sequelas que tudo isso deixou na minha vida. Hoje em dia eu entendo que tenho muito mais força para mostrar a minha vulnerabilidade e falar ‘cara, eu não estou bem’”, desabafa Luísa, que sofre com ataques na internet desde 2017, quando começou sua carreira.

Os discursos de ódio, no entanto, atingiram outro nível em abril de 2020, quando a cantora anunciou o término do casamento com o humorista Whindersson Nunes. A partir daí, sua vida amorosa começou a ser pauta para os “haters”, muito mais do que sua carreira. A tal nível que Luísa foi diagnosticada com depressão e, no dia 4 de junho, sua assessoria comunicou seu afastamento das redes sociais para cuidar da saúde mental, adiando o lançamento do álbum.

Luísa, no entanto, não é exceção. A maioria das mulheres jovens e talentosas – brasileiras ou estrangeiras – sofreu na mão daqueles que buscam por fofocas. Foi assim, por exemplo, com Britney Spears. Em seu documentário disponível no Globoplay, Framing Britney Spears: A Vida de uma Estrela, que concorre como melhor na categoria do Emmy 2021, o abuso da mídia e da tutela à qual a americana é submetida há 13 anos são explorados.

Eu me identifico muito com toda a história da Britney. De ela sofrer com a mídia, com as mentiras inventadas sobre ela, com o relacionamento com o Justin Timberlake. Ver a história dela, me ajudou muito a estar aqui conversando com você, sabe?”, reflete a cantora.

A admiração foi tanta que a diva pop é homenageada na faixa 2000 s2. Além do ritmo bem característico das músicas da estrela americana, Luísa fez um ensaio fotográfico com roupas e poses idênticas às fotos de Britney no início da sua carreira. “Essa foi a última música que escrevi para o álbum e é uma das minhas preferidas”, diz.

Por muito tempo, especialmente pelas meninas do pop do Brasil terem suas raízes muito claras, eu ficava me perguntando de onde eu era. E minhas influências são de uma menina que foi criada cantando tudo o que você imaginar. Então decidi colocar isso”, explica ela que nas 14 faixas do álbum explora MPB, funk, trap e sertanejo. Da sua casa, tomando um chimarrão e mostrando maturidade em suas respostas, a cantora garante a existência dos dois lados, mesmo em uma entrevista.

Agora com 23 anos, Luísa fez parte da Forbes Under 30, lista que destaca os mais brilhantes empreendedores, criadores e “game changers” brasileiros abaixo dos 30 anos, já recebeu certificado de diamante por vários singles e também placa de ouro por seu primeiro álbum, Pandora. Fatos que podem – e devem – ser levados muito mais em conta do que seu corpo, sua sexualidade ou relação amorosa.