Destaques Esporte

Luiz Felipe Scolari não comanda mais o Cruzeiro

26 de janeiro de 2021

O técnico ficou à frente da equipe em 21 partidas na Série B. / Foto: Divulgação

Belo Horizonte – A segunda passagem de Felipão pelo Cruzeiro foi encerrada na manhã de ontem, segunda-feira, 25 de janeiro. O clube e o treinador entraram em um acordo e rescindiram o contrato, que iria até o fim de 2022. Scolari nem irá comandar o time na última partida da Raposa na Série B, contra o Paraná, sexta-feira, 29 de janeiro, em Curitiba.

O clube enviou um comunicado à imprensa sobre a saída do treinador, que chegou ao Cruzeiro em outubro, com a missão de tirar o time da zona do rebaixamento, evitar a queda para a Série C e iniciar um projeto de recuperação, que deveria ir até o fim do ano que vem.

O comandante, multicampeão, conseguiu evitar a queda do time mineiro, mas andava insatisfeito com promessas feitas e não cumpridas, principalmente a dificuldade do clube em manter em dia os salários dos atletas. Em várias entrevistas pedia mais segurança para continuar no cargo.

A comissão técnica de Felipão também deixa o clube: Paulo Turra e Carlos Pracideli (auxiliares técnicos) e Anselmo Sbragia (preparador físico). No contrato do técnico havia uma multa de R$ 10 milhões em caso de demissão. Porém, se Scolari optasse por deixar a Raposa, não haveria o pagamento de multa.

O seguinte anúncio foi feito pelo Cruzeiro: “Colaborando com o Clube em seu momento mais desafiador na história, Scolari e sua comissão técnica cumpriram a importante missão de recuperar o Cruzeiro no Campeonato Brasileiro da Série B, tendo dirigido a equipe celeste em 21 partidas, somando nove vitórias, oito empates e quatro derrotas.

Considerando as duas passagens, Luiz Felipe Scolari dirigiu o Cruzeiro em 96 partidas, obtendo 49 vitórias, 31 empates e 16 derrotas. O Cruzeiro agradece e reconhece todo o trabalho, dedicação e profissionalismo de Felipão e seu staff para com o Clube neste momento importante, e deseja toda sorte e felicidade ao técnico campeão do mundo e sua comissão”.