Destaques Música

Lu, ex-Rouge, em carreira solo

12 de janeiro de 2021

A ex-Rouge Lu Andrade dá a partida na carreira solo com ‘Elo’. / Foto: Divulgação

Em março de 2020, no dia em que a pandemia do novo coronavírus foi decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o produtor mineiro Lucca Mourão desembarcava em São Paulo para finalizar um trabalho que começara no final de 2019.

Diante do fechamento da capital paulista para tentar conter a disseminação do vírus, ele se viu obrigado a retornar para casa, em Divinópolis, onde ficou durante oito meses, até poder reencontrar a artista com quem vinha trabalhando: a também mineira Lu Andrade, projetada nacionalmente no início dos anos 2000 como integrante do grupo Rouge.

Apesar de repentino, o tempo em que os dois ficaram afastados foi decisivo para o recém-lançado EP Elo, liberado nas plataformas digitais na última terça-feira.

Mudamos completamente os arranjos. O que era mais simples ficou mais complexo. O Lucca mudou as batidas, e eu também compus novas canções. No final desse processo, eu tinha uma série de novas composições, mas decidi finalizar o que a gente já tinha começado e guardar as outras músicas para um momento futuro’’, conta Lu, cujo nome artístico é o diminutivo de Luciana.

O trabalho começou a nascer em meados de 2019, logo após a mais recente dissolução do Rouge. O grupo, formado em 2002 no reality show Popstars, acabou oficialmente em 2006. Luciana abandonou o barco dois anos antes, em 2004, mas participou do retorno em 2017. A decisão de fazer um trabalho solo veio depois que a banda encerrou uma turnê nacional de sucesso e lançou o álbum de inéditas Les 5inq (2019).

Já estávamos quase finalizando as músicas, mas veio a pandemia e tivemos que adiar tudo. Uma decisão muito difícil e frustrante. Mas ganhamos um tempo precioso para repensar o caminho que estávamos percorrendo. Quando retornamos ao estúdio, em outubro, estávamos com tanta vontade e energia para gravar que saiu uma coisa completamente nova e diferente

Lucca me propôs o projeto em maio de 2019, e eu logo comecei a compor. Quando chegamos em 2020, já estávamos quase finalizando as músicas, mas veio a pandemia e tivemos que adiar tudo. Uma decisão muito difícil e frustrante. Mas ganhamos um tempo precioso para repensar o caminho que estávamos percorrendo. Quando retornamos ao estúdio, em outubro, estávamos com tanta vontade e energia para gravar que saiu uma coisa completamente nova e diferente’’, comenta.

As seis músicas que compõem o EP soam como uma continuidade do trabalho mais recente do Rouge, ainda mais considerando que a voz de Lu era uma das mais marcantes do grupo. Predominantemente romântico, o repertório pode ser dividido em duas partes: a primeira metade diz respeito às músicas mais animadas, e a segunda, às baladas.

Recentemente, Aline lançou seu primeiro álbum de estúdio, Indômita (2020). Fantine reeditou trabalhos lançados no passado e lançou o EP Born again (2020), além dos singles Wonder e Believe. Já Karin liberou três músicas: Fogo, Pra você ficar e Nossa lei. Para este 2021, Lu Andrade pretende colocar em prática uma lição que 2020 ensinou: não fazer planos.

ELO. Lu Andrade. 6 faixas. Independente. Disponível nas plataformas digitais