Destaques Geral

Lojistas apostam em campanhas virtuais para o Dia das Mães

Por Gabriella Alux / Especial

27 de abril de 2021

Filhos relatam preferência por compras online e presentes com valor simbólico para o dia das mães. / Foto: Divulgação

PASSOS – O Dia das Mães, apontado como segunda data mais importante para o comércio, atrás apenas do Natal, deve contar com campanhas para aumentar as vendas online em Passos. Por conta da pandemia de covid-19, empresários e vendedores relatam que a expectativa é que o movimento nas lojas físicas seja menor em relação ao ano passado, mesmo com as flexibilizações e o pagamento do novo auxílio emergencial.

Nesta quarta-feira, a empresária Lúcia Helena Silveira inicia uma campanha de vendas no online e presencial com esperança de um bom retorno.

Hoje, cerca de 90% das nossas vendas no varejo são feitas online. Por isso, passamos a dar mais atenção às vendas pela loja virtual e Whatsapp e também contratamos um funcionário para melhorar a comunicação nas redes. Temos lançado promoções com brindes pelo Whatsapp e online, campanhas com temas mais afetivos como “Calmaria”, ano passado, e “União”, neste ano, para simbolizar os sentimentos da época e também oferecemos frete grátis a partir de um certo valor. Estamos preocupados e procurando meios de conseguir um bom resultado. Esperamos que, com isso, o movimento aumente, ainda mais por se tratar de uma data que representa um alto consumo”, declara.

A vendedora Brenda Leonor Martins afirma que as vendas na loja via Instagram e Whatsapp têm gerado mais resultados que a loja presencial.

Ainda estamos planejando uma campanha que entrará em ação semana que vem, mas, por vendermos muito mais online do que presencialmente, é nisso que vamos dar preferência. Mesmo que, no Natal, tenha dado para perceber o impacto da pandemia na economia e com as restrições, as pessoas acabam comprando nem que seja uma lembrancinha para a mãe. No presencial, acredito que o movimento vai ser igual ou menor que do fim do ano”, afirma.

O Dia das Mães para universitária Stéfany Dias Alves, de 21 anos, será diferente neste ano, pois não vai ter almoço em família, para evitar contatos.

Em meio à pandemia, acho que o principal presente que a gente pode dar é o cuidado, proteção e carinho. Este ano, quero dar algo para minha mãe, de valor simbólico, que ela possa usar e agregar valor. Pretendo dar um livro relacionado a um hobby dela, para que se aprofunde e conheça mais do assunto”, disse.

Para Julia da Silva Marques, de 12 anos, a preferência deve ser por presentes que simbolizem a união da família.

A pandemia me aproximou muito da minha família. Isso faz com que qualquer presente seja um símbolo muito mais emocional do que relativo a preço ou bem material. Pretendo escolher alguma lembrancinha na internet, por ser mais fácil, barato e menos perigoso do que ir nas lojas presenciais, porém desejo aproveitar esse tempo em união”, disse.

Já Allana Coutinho, de 15 anos, afirma que quer manter a tradição de comer fora para proporcionar um momento em família.

Eu e minha família costumamos ir a um rodízio japonês, que todos gostam e dá para ter um momento muito gostoso com minha mãe. Creio ser mais importante do que qualquer presente que eu possa dar, ainda que eu esteja cogitando comprar algo também”, afirma.


Consultora orienta sobre estratégias de marketing digital

PASSOS – De acordo com a consultora de marketing Larissa Dolenc, as vendas do Dia das Mães serão vantajosas se as estratégias forem modificadas, pois quem depende de um ponto de venda físico sofre maior impacto nesta pandemia e empresas e pequenos negócios estão se reinventando com o marketing digital para atrair clientes.

Além de pensar em inovações de produtos, sejam adaptações do portfólio da empresa ou criação de novos, é preciso implementar outros meios de distribuí-los, para se comunicar a distância com os consumidores. É bem menos custoso criar um site e impulsioná-lo por meio de anúncios patrocinados no Google do que investir na exposição da marca em um outdoor, por exemplo. Então, mostre, indique, leve o seu produto até seu cliente. Não cobre por isso. Apresente todo o cuidado e passe a tranquilidade que o cliente precisa para comprar um item de sua loja sem ter medo da pandemia”, afirma Larissa.

Segundo ela, empresas que adotam estratégias de marketing online tendem a apresentar maior retorno sobre o investimento do que aquelas que não trabalham desta maneira.

A grande sacada agora é chegar até seu cliente, sem, necessariamente, ele ir até você. Então, comece com um site atualizado, também preparado para ser acessado por dispositivos móveis. Implemente na página do seu site mecanismos que facilitem o contato com o cliente. O chat para o WhatsApp da empresa, por exemplo. Também atue nas redes sociais e esteja com o atendimento pronto para vender nesses canais. Pense ainda na criação de novos produtos e serviços que possam agregar valor ao seu portfólio e solucionar um problema que as pessoas estejam enfrentando”, orienta.

Para Larissa, o marketing digital é a forma mais econômica, prática e acessível de alcançar as pessoas e entregar soluções de alto impacto, qualidade e possibilidades de lucros. Os benefícios vão além deste momento de crise, pois a tendência é que as pessoas conciliem demanda online e offline no pós-pandemia. Segundo ela, é vital que os negócios tenham um posicionamento digital estratégico.

Agora, chegamos em uma fase em que contratar o “filho do primo do vizinho” para cuidar das redes sociais de sua empresa será a pior escolha a ser feita. Se antes já não dava resultados, agora poderá fechar suas portas. Sejam quais forem as ideias para se adaptar aos novos hábitos de distanciamento social gerados pela pandemia, é preciso priorizar a qualidade”, afirma Larissa.