Cidadania Destaques

Liberada verba para ONGs de Passos

5 de dezembro de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – A Prefeitura de Passos liberou na última quinta-feira, 3, através de um termo de fomento, R$60 mil para a Associação Passense Protetora dos Animais – Patas Amigas, que tem a vereadora eleita Gilmara Silveira de Oliveira como responsável pela Ong. Outros R$60 mil para foram destinado para a S.O.S Patas – Sociedade de Proteção aos Animais de Passos, representada por Cláudia Lúcia Piacezzi.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Projeto prevê tratamento para animal resgatado
  • Números no Brasil

De acordo com Cláudia, representante da S.O.S Patas, a primeira parcela da verba, de R$30 mil reais, foi depositada na última quinta-feira e deve ser gasta até o próximo dia 15. Ela explica que a S.O.S Patas utilizará o dinheiro para a castração de animais de rua.

Iremos destinar exclusivamente para cães de rua e em estado de abandono. Nós temos uma lista enorme de castrações. Essa lista estava no castra móvel, mas infelizmente ele não voltou e não sabemos quando volta. Pegaremos os cães dessa lista, arrumar um lar temporário e castrar”, explica.

A representante da S.O.S Patas explica que essa verba foi “pleiteada desde o ano passado através de repasses da prefeitura, é uma verba que foi remanescente de um fundo”. Segundo Cláudia, a verba deveria ter saído antes, mas devido a pandemia ocorreu um atraso e agora as Ongs precisam gastar todo o dinheiro até o próximo dia 31 para que a verba não retorne para os cofres públicos.

Segundo a Prefeitura, o objetivo destas parcerias é subsidiar o atendimento veterinário, castrações, compra de medicamentos, ração e cuidados diversos para animais em situação de vulnerabilidade. A reportagem entrou em contato responsável pela Ong Patas Amigas, a vereadora eleita Gilmara Silveira de Oliveira, mas não obteve resposta até o fechamento dessa edição.

Projeto prevê tratamento para animal resgatado

BRASÍLIA – O Projeto de Lei 5291/20 prevê atendimento médico-veterinário gratuito a cães e gatos resgatados da rua ou adotados de abrigos para animais. O texto é do deputado Fred Costa (Patriota-MG) e tramita na Câmara dos Deputados. Pela proposta, a gratuidade se aplica a consultas, exames laboratoriais e procedimentos ambulatoriais e cirúrgicos, incluindo esterilizações, e ainda aplicação de vacinas e medicamentos necessários ao animal em tratamento.

O projeto também prevê reembolso integral, a ser realizado pela União, dos gastos referentes aos atendimentos. Um ato do Poder Executivo deverá definir a forma de reembolso e de realização de parcerias com estados, municípios e entidades da sociedade civil para garantir as medidas previstas. Fred Costa argumenta que boa parte das pessoas que desejam adotar um cão ou um gato no Brasil desistem da ideia por receio de não conseguir arcar com as despesas veterinárias do animal.

A aprovação do projeto favorecerá os animais e os adotantes e, indiretamente, toda a população brasileira, devido à gradativa e constante redução do número de animais nas ruas do País”, defendeu.


Números no Brasil

De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – atualizados pelo Instituto Pet Brasil, em 2018 – no Brasil, existem cerca de 54,2 milhões de cães e 23,9 milhões de gatos. Conforme esses dados, 5% dos cães e gatos do País estão em condição de vulnerabilidade, o que representa 3,9 milhões de pets.

Você também pode gostar de: Educadores cobram igualdade em Plano de Carreira

Ministro debate com entidades retorno das aulas presenciais