Destaques Do Leitor

Lava jato

16 de setembro de 2020

Incrível! O combate ao crime, à corrupção que deu certo alento aos brasileiros do bem, está sendo desmantelado, inexplicavelmente, pelos órgãos de ofício que deveriam apoiar, fomentar para crescer as ações contra o mal. Pessoas graúdas na área pública e empresarial mostram sua força, num claro atestado de que a corrupção tem raízes fortemente arraigadas, profundas. O bem que parecia crescer no combate à corrupção definha. É desoladora a situação. O VAR no combate ao crime é tendencioso, descompromissado com a honestidade e os bons costumes.

Humberto Schuwartz Soares – Vila Velha/ES

Visão do produtor

Atribuir alguma responsabilidade ao produtor rural pela alta sazonal do arroz é miopia. Nunca é demais lembrar que o agricultor também é consumidor e nos últimos anos foi castigado com repetidas secas, custos elevados e margens baixas, cada vez mais apertadas pela extensa cadeia até o varejo. Com rentabilidade no vermelho, a área plantada recuou. A alta do dólar favorece as exportações e, nesse sentido, o caminho do grão está seguindo apenas as regras naturais de livre mercado, com o produtor tendo a chance tão somente de recuperar parte das perdas acumuladas. Soma-se a isso o aumento do consumo interno neste período de pandemia, que se fez refletir nos preços. Há décadas a produção nacional garante a oferta doméstica e simultaneamente gera excedentes exportáveis. O reequilíbrio dos preços virá com o ingresso da nova safra, que começa a ser plantada. O problema não é de política agrícola, mas, sim, macroeconômica.

Cesario Ramalho da Silva – São Paulo/SP

Arroz e feijão

Só para lembrar: nos tempos da “pandemia petralha” tivemos uma alta expressiva do arroz e do feijão, quando Dilma Rousseff doou o nosso estoque regulador a Cuba.

Carlos E. Barros Rodrigues – São Paulo/SP