Destaques Política

Kito perde pedido de retirada de moção

1 de agosto de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

CÁSSIA – A novela envolvendo o prefeito de Cássia Marco Leandro Almeida Arantes, o Kito Arantes e um servidor voltou à tona na sessão ordinária da Câmara Municipal de Cássia na terça-feira, 21, quando quatro vereadores foram favoráveis à retirada da moção de repúdio ao Chefe do Executivo, outros quatro parlamentares foram contrários e o presidente da Casa Legislativa, Luiz Adriano de Souza Machado, o Priminho desempatou mantendo a moção. A Folha tentou por meio da assessoria e do celular do prefeito, mas, por mais de uma semana não obteve respostas.

De acordo com Priminho, os vereadores que votaram a favor foram Ciro Antônio de Oliveira Costa, Dannilo Rodrigues Silveira, Eurípedes Fonseca Luvizoto, o Hipinho e Luciano José Barreto. Já contrários votaram os parlamentares Henrique Fernandes Alonso Neto, Jezer Oliveira David, Luciana Evangelista e Ricardo Garcia Arantes.

Como houve empate eu desempatei mantendo a moção por entender que não cabe ao prefeito tratar com falta de respeito e educação um servidor”, assegurou o presidente da Casa Legislativa.

Questionado sobre o motivo pelo qual o prefeito fez o requerimento pedindo a retirada da moção de repúdio feita pela Câmara, Priminho disse que Kito Arantes estaria recebendo diversos processos trabalhistas e que o Ministério Público estaria se valendo desta moção de repúdio como um dos documentos confirmatórios em desfavor do prefeito.

O ofício foi lido e votado na última sessão ordinária da Casa. Ele perdeu e precisa repensar seu modo de tratar os servidores. Ele se desentendeu um dia antes com um servidor (divergiu em idéias) e um dia depois da moção ele brigou com uma funcionária pública. Por ser uma figura pública deveria ter mais respeito, nem falo como ser humano, porque aí, é da natureza dele, parece ser um homem que não quer saber de respeitar o funcionalismo. Isso não cabe mais na política, não cabe mais na humanidade”, disse Priminho.