Destaques Esporte

Justiça

21 de Maio de 2020

Mano Menezes entrou na Justiça do Trabalho contra o Cruzeiro. O treinador cobra cerca de R$ 5,3 milhões. O clube celeste tinha um acordo de R$1,9 milhão com o técnico pela rescisão contratual, mas não cumpriu. Em agosto do ano passado, quando acertou a saída de Mano Menezes, a Raposa fez acordo para o pagamento de duas parcelas de cerca de R$ 955 mil. O clube não pagou nenhuma delas. São dois processos: um, cobra multas, FGTS e rescisão não paga e o outro, direito de imagem.

Bilionário

De acordo com a revista Forbes, Michael Jordan tem um patrimônio avaliado em US$2,1 bilhões (R$ 12 bilhões). O segundo mais bem pago de todos os tempos é o golfista americano Tiger Woods, com US$ 800 milhões (R$ 4,5 bilhões). Michael ainda viu neste período de quarentena, o seu legado e a sua imagem serem mais valorizadas dentro e fora das quadras. Aposentado desde 2003, ele foi o protagonista de um documentário americano, lançado no mês passado, que virou sucesso internacional.

Conturbado

Apesar de ter tido uma passagem vitoriosa pelo Santos, Arouca não saiu do clube da maneira que esperava. O volante explicou os motivos que o levaram a se despedir do Peixe em 2015 para assinar com o rival Palmeiras. “Tinha muita coisa errada, percebi que fizeram pouco caso da situação e foi aí que tomei a decisão de tomar novos ares, de sair” disse. De acordo com o jogador, houve esforço de sua parte para seguir no clube, mas o Santos tinha pendências a serem pagas.

Contaminado

Mesmo sem a autorização das autoridades cariocas, o Flamengo segue com seu plano de retorno aos treinos. O clube realizou a segunda bateria de exames em todo do departamento de futebol e revelou que mais um jogador do elenco testou positivo para coronavírus. Anteriormente, na primeira vez que foram testados, outros três jogadores estavam com coronavírus. Um deles já se recuperou, mas os outros ainda seguem em quarentena. O Flamengo não divulgou os nomes dos atletas.

Futebol Feminino

A Fifa anunciou que não vai alterar o fundo de US$ 1 bilhão de investimento no futebol feminino mesmo com a paralisação do esporte mundial.

Podemos confirmar que esse financiamento já foi comprometido pela Fifa e não será afetado pela atual crise da covid-19. Esse financiamento será investido em diversas áreas do futebol feminino, incluindo competições, capacitação, programas de desenvolvimento, liderança, profissionalização e programas técnicos”, declarou um porta-voz da Fifa.