Destaques Geral

Jovem de Claraval descobre 12 asteroides e é reconhecida pela Nasa

Por Adriana Dias / Redação

8 de novembro de 2021

A estudante Joice Vitória que encontrou dois asteroides exibe a medalha de prata da Olimpíada Brasileira de Astronomia./ Foto: Divulgação.

CLARAVAL – Joice Vitória Leão Morais tem epenas 18 anos e já entrou para um grupo seleto de mulheres cientistas, tendo o reconhecimento inclusive pela Agência Espacial Norte Americana (Nasa) por ter descoberto asteroide. Ela e a equipe do Clube Garotas na Ciência ‘Marie Curie’, encontrou 12 asteroides dos quais dois foram registrados pela agência.

Aluna do 3° ano do Ensino Médio da Escola Estadual Iarbas Rodrigues, de Claraval, a filha do casal Joel Ferreira de Morais e Mara Leão tem dado muito orgulho aos pais. Joice, que nasceu em Franca, mas desde os 6 anos reside na cidade mineira, contou à reportagem que desde muito criança é fascinada pela natureza, de estar sempre em contato e em observação do céu.

“Isso despertou a minha curiosidade de entender sobre as estrelas e o que estava acontecendo. Até hoje é assim, sempre quero aprender mais a respeito de astronomia e sobre o Cosmo”, disse a caçadora de asteroide que tem outros quatro irmãos e uma rotina bem agitada e feliz. Em junho deste ano, já fazendo parte do Clube Garotas na Ciência, Joice resolveu criar uma equipe e cada uma encontrou vários asteroides. Eu mesma encontrei 12, enviamos o relatório e destes que nossa equipe enviou dois não haviam sido registrados e que, portanto, futuramente, poderíamos nomeá-los. Por enquanto estão as iniciais e daqui um tempo vamos conseguir arrumar um nome legal”, disse.

A jovem, que vai prestar o vestibular para o curso de Física, pretende seguir carreira e ainda se especializar em astrofísica ou astronomia e, o objetivo, é seguir carreira como pesquisadora e sempre ajudar a ciência e incentivar mais pessoas.

“Meus pais sempre me incentivaram, eles davam ouvidos às minhas falas a respeito do assunto, tanto que minha mãe me inscreveu na Olimpíada Brasileira de Astronomia, em que fui premiada com a Medalha de Prata na 23ª edição”, contou Joice.

Clube

Joice Vitória Leão Morais faz parte do Clube Garotas na Ciência que leva o nome da pesquisadora polonesa Marie Curie que inventou o raio X e descobriu a radioatividade. O objetivo do projeto é incentivar os estudos e a ciência para mais meninas entre outros jovens.

Foi neste grupo que a equipe mapeou os dois asteroides ainda não detectados por outros cientistas. Por tê-los descoberto, a equipe de Joice Vitória vai ter o privilégio de nomeá-los. O International Astronomical Search Collaboration (IASC) é um programa de ciência-cidadã vinculado com a Nasa que fornece dados astronômicos de alta qualidade para cientistas-cidadãos em todo o mundo. Esses cientistas-cidadãos são capazes de fazer descobertas astronômicas originais e participar da astronomia prática.

O programa ligado à Universidade do Havaí começa com inscrição e treinamentos, onde um software chamado Astrométrica é utilizado como ferramenta para essas detecções, sendo tiradas do telescópio pan-STARRS. As imagens são analisadas por equipes e assim no final da campanha os relatórios são enviados. Joice e todas as meninas de sua equipe receberão um certificado internacional reconhecido pela agência norte-americana.

Questionada sobre ter sofrido algum bullyng ou preconceito por parte de colegas a respeito de seus sonhos, ela confirmou que sempre tem pessoas que não confiam ou desacreditam deste seu sonho.

“Quero ser astrônoma, é meu objetivo e sigo buscando. Desde muito nova na escola, sempre coloquei isso como profissão e muitos riam de mim. Ficava chateada, envergonhada por ter este sonho. Cheguei a pensar se era realmente algo grande demais, mas não desisti. Se ouvir as pessoas não fazemos nada. Meus pais apoiam e estas mesmas pessoas que desacreditaram me pedem desculpas. Já sonhei ser astronauta, viajar pelo espaço e se eu tiver a oportunidade iria, mas sou mais para o estudo da astrofísica”, acrescentou a garota que não conhece nenhum observatório, mas observa por meio de um observatório e o software.