Destaques Do Leitor

Jesus Christo Omnia Vincit…

3 de novembro de 2020

No dia 28/10 gostei muito ao abrir a Folha e, de cara, na Coluna do Leitor, ser agraciado com a matéria “ Um tal de Jesus Cristo…” Uma benção de leitura. O protesto sereno e polido do Professor Luiz Guilherme Winther de Castro foi muito verdadeiro. É triste constatar a nossa passividade diante dos vilipêndios que Jesus vêm sofrendo. Não custa lembrar, o Brasil é uma das maiores nação cristã das Américas. De prontidão me lembro que Jesus já foi xingado, ofendido e ridicularizado em desfiles de carnavaLixo, no natal infame do teatro “porta dos fundos” , no desequilíbrio emocional de uma conhecida cantora de mpb, nas mostras podres do queermuseum, dentre outras afrontas das sombras. Professor, com sua permissão, faço das tuas palavras as minhas. Obrigado. Parabéns!

A matéria ainda relata episódio violento ocorrido na França, por conta de caricatura ofensiva de Maomé. No passado, o jornal satírico Charlie Hebdo também já sofreu ataques terroristas. Radicalismos a parte, devemos ter em mente que liberdade de expressão também combina com respeito. O meu direito acaba onde começa o teu, e vice versa. Está chegando o natalício de Jesus Cristo – aquele que tudo pode, que tudo vence – o filho de Deus, o Criador . Jesus é a base e a proteção das nossas família, unamo-nos em sua defesa. Abrandemos nossos corações, deixemos a luz entrar. Jesus é a Luz do mundo. Jesus é o caminho, e a verdade e a vida. Pratique e espalhe o bem , o amor e o respeito, vamos construir um mundo melhor…para todos! Força Sempreeh!!

Jorge Moreira Maciel – Passos, MG


A volta do dragão

Até maio, em meio à pandemia e ao alto desemprego, a inflação mantinha-se comportada: no acumulado de 12 meses, ficou em 1,87%, com nunca visto na História deste país. Em outubro, o grande susto: os preços ao consumidor tiveram alta de 0,94%, o pior resultado para o mês desde 1995. A grande vilã foi a alimentação, mas a alta de preços se espalha para outros produtos. Dólar nas alturas, entressafra e desabastecimento de matérias-primas para setores vitais alimentam a inflação. E para angústia da família brasileira, o IGP-10, que corrige os aluguéis, está em 17,6%! Com um governo sem rumo, sem foco nas reformas estruturais, e com déficit fiscal caminhando para quase R$ 1 trilhão este ano, vislumbram-se tempos sombrios.

Paulo Panossian – São Carlos/SP