Destaques Geral

Itauense é uma das criadoras do Sabiah

17 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

ITAÚ DE MINAS – A ansiedade está alta, especialmente em tempos de pandemia, isolamento social e crise econômica. E conversar pode contribuir para a saúde mental, uma vez que nomear as emoções é uma forma efetiva de lidar com elas. Pensando nisso, e a partir de um post de LinkdIn, quatro jovens, sendo uma de Itaú de Minas e outras duas pessoas de Passos criaram o Sabiah, um espaço online de boas conversas.

A paulistana e Gerente E-commerce, Mariana Busani, a itauense formada em Economia e Gerente de Projetos, Marina Gladstone, juntamente com as também paulistanas Mariana Hiromi, que é Coordenadora E-commerce e a doutora em Física, Priscila Manfrini que mora em Taiwan, foram as criadoras da proposta Sabiah. Isabelle Vilela e Regina Páscoa são duas passenses que atuam como voluntárias.

De acordo com a Economista e Gerente de Projetos, Mariana Busani, o Sabiah promove conversas individuais, gratuitas e online para qualquer pessoa, com um dos 17 voluntários do grupo de conselheiras e conselheiros – pessoas comuns que se disponibilizaram a doar seu tempo, ouvido e experiências com quem precisa.

As conversas podem ser temáticas, como o Bate Papo sobre Carreira, primeiro tema da Sabiah que visa orientar as pessoas com dicas sobre como preparar seu currículo e ajudar a refletir sobre seu futuro profissional. A Espanta Solidão, tem a proposta de conversar com quem se sente só nesse período de isolamento, Maternidade & Relações Familiares, para quem deseja falar sobre essas conexões. Recentemente foi lançado o bloco sobre Vivência no Exterior e o Bate Papo sem Preconceito, que explora temas como racismo, LGBTQIA+ e equidade de gênero.

“A Sabiah nasceu de uma postagem no início da quarentena. Nele me coloquei à disposição para ajudar quem precisasse falar sobre carreira ou futuro profissional em tempos de incerteza. No entanto, eu não esperava receber a quantidade de mensagens que recebi. Com isso, três amigas se envolveram na iniciativa e dividiram a agenda de conversas. Juntas, transformamos essa ação em uma plataforma de verdade! E foi assim que criamos a Sabiah (http://sabiah.org/)”, conta Mariana Busani, fundadora da iniciativa.

Desde maio, a Sabiah já ajudou mais de 300 pessoas, com retornos emocionantes, de pessoas que conseguiram emprego, até aquelas que dizem ter tomado atitudes que ajudaram a seguir em frente, ou simplesmente, gratas pela conversa leve.

Os voluntários não são formados em psicologia ou algo assim. São profissionais que vão conversar a respeito de assuntos específicos e vivências e estão dispostas a doar seu tempo para ouvir outras pessoas. É um bate papo, em que busca muitas vezes ouvir o inscrito para a conversa e depois trazemos nossos pontos de vista, de acordo com nossas perspectivas. A pessoa fala e o voluntário traz sua visão. Troca de ideias”, disse Mariana.

Ainda conforme a idealizadora, a princípio era para trocar informações sobre como fazer um bom currículo, como procurar carreiras, rever e redirecionar as carreiras. “Mas, vimos que era necessário ampliar para outros temas. E, tem sido bem interessante”, garantiu.

Sobre o nome Sabiah, Mariana conta que foi um nome pensado para representar quem o grupo é.

Acreditamos nas conexões e conversas. O nome surgiu de uma brincadeira com o nome do pássaro, e quando buscamos as características deles, gostamos muito do fato de ser um nome de pássaro que vem do tupi, de conviverem em duplas, e de terem um canto marcante para quem está em volta”, contou.

Os interessados podem acessar um dos canais: site: http://sabiah.org/ ou Instagram: @sabiah_org e, ainda pelo Linkedin: https://www.linkedin.com/company/sabiah

A iniciativa surgiu de um post feito por Mariana Busani e três amigas, entre elas a itauense Marina Gladstone