Destaques Geral

Interação virtual auxilia idosos durante período de isolamento

17 de agosto de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Cada vez mais, os idosos vêm aderindo ao uso da tecnologia para se comunicar com outras pessoas, o que tem se intensificado neste momento de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus. Apesar de as interações serem virtuais, psicólogos ressaltam seus benefícios à saúde emocional e cognitiva.

De acordo com um estudo da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, a possibilidade de idosos desenvolverem depressão pode diminuir em até 30% para aqueles que usam a tecnologia para interagir. Morador do Lar São Vicente de Paulo, Nelson Mendes dos Santos afirma que se sente muito feliz sempre que faz chamadas de vídeo, pois, dessa forma, ‘mata’ a saudade dos familiares.

Marisa Oliveira Martins, psicóloga que atua na instituição, diz que a frequência do uso de celular no Lar São Vicente vem aumentando, mas que vê benefícios para os idosos do local. Ela conta que as chamadas de vídeo são feitas semanalmente, com auxílio de uma psicóloga ou assistente social, para a aproximação do idoso ao ente querido.

É fundamental dar voz e vez à pessoa idosa, à família e à equipe de forma geral para que medidas de readequação e implementação sejam realizadas de acordo com o cenário vivenciado atualmente. Podemos notar que esse trabalho vem assegurando a manutenção de vínculos socioafetivos, visando ao conforto, à segurança, à autoestima e à autonomia da pessoa idosa”, pontuou Marisa.

Segundo a psicóloga Neuza Gotelip Francklim Furtado, o uso da internet traz proximidade emocional e afetiva.

O uso de videochamadas, mensagens pelo WhatsApp e outros aplicativos trazem conexões e sensações de pertencimento, diminuindo, assim, a sensação de solidão e a frustração causadas pelo distanciamento, o que, consequentemente, proporciona uma maior interação com seus filhos, netos e amigos”, explicou.

Ela também ressalta que o bem-estar produzido por meio dessas conexões vai além da elevação da autoestima e sensação de prazer. Conforme Neuza, há estudos que comprovam que o uso da tecnologia pelos idosos estimula o cérebro, preservando e ampliando as funções cognitivas