Destaques Geral

Inadimplência cresce 54% entre janeiro e fevereiro em Passos

Por Mayara de Carvalho/ Redação

8 de março de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – As inclusões de consumidores no Serviço Central de Proteção ao Crédito da Boa Vista Serviços (SCPC) em Passos aumentaram 54% em fevereiro deste ano em relação a janeiro. Segundo informações da Associação Comercial e Industrial de Passos (Acip), foram 724 novos cadastros no mês passado e 470 no primeiro mês do ano. Na comparação com fevereiro de 2021, o crescimento na inadimplência foi de 32,5%.


Você também pode gostar de: Três pessoas morrem em acidente em Paraíso

Já entre as pessoas que saíram do cadastro de devedores no SCPC, fevereiro de 2021 também registrou aumento, de 4,95%, em relação ao mesmo período do ano passado. Na comparação entre janeiro deste ano e de 2020, houve queda nos registros de devedores. No primeiro mês do ano passado foram 665 inclusões. Para o professor e de matemática e doutor em estatística Rafael Bastos, os números sobre a inadimplência são preocupantes.

Nos anos anteriores, em relação a janeiro e fevereiro, podemos perceber que houve pouca variação. Contudo, neste ano de 2021 a comparação mostrou um aumento de mais de 54%, atingindo o maior número nos últimos anos”, disse.

Segundo Bastos, os consumidores devem evitar contrair dívidas.

Empréstimos geram impacto no orçamento futuro. É importante fazer um levantamento de todos os gastos da família e ver o que realmente é necessário. É momento de união para vencermos este momento difícil”, disse.

Segundo Bastos, uma maneira de evitar o cadastro negativo do SCPC é mudar hábitos de consumo.

É o momento de gastar menos com lazer, transporte, alimentação. Trocar o carro pela bicicleta e, até mesmo, caminhada. A economia de energia elétrica e de água também reflete no orçamento mensal. Devemos aproveitar que a família está em casa, mais próximos, e criar uma conscientização dos gastos em conjunto. Para as pessoas que realmente precisam do empréstimo, é bom analisar as propostas dos lugares que estão prestando serviços e procurar os menores juros”, disse. O professor também aconselha aos devedores que procurem negociar as dívidas com os credores, tanto físicos como jurídicos.