Destaques Geral

Inadimplência aumenta 1,9% em 2020 e Acip prevê novo crescimento em 2021

Por Beatriz Silva / Redação

23 de janeiro de 2021

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS — Segundo relatório da Associação Comercial e Industrial de Passos (Acip), 3.575 consumidores foram incluídos no cadastro de pessoas físicas inadimplentes em 2020, o que representa um aumento de 1,9% em 2019 (3.508 devedores). Para o presidente da Acip, Renato Mohallem, os números semelhantes a 2019 têm relação às diferentes formas de apoio financeiro oferecidas pelo Governo Federal em 2020.

Devido à situação atípica ocasionada pela pandemia de covid-19, a federação proporcionou inúmeras formas de auxiliar o giro da economia, possibilitando que, mesmo em situação de crise, os consumidores conseguissem pagar seus débitos. Entre as formas de apoio, tivemos o auxílio emergencial, o acesso facilitado de financiamentos no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), além da quitação de parte da folha salarial de diferentes empresas”, lembrou.

Ainda de acordo com Mohallem, a previsão é que o percentual de inadimplentes cresça neste ano.

Ao contrário de 2020, agora não há suporte do Governo Federal e, atrelado a esse fato, o desemprego deve aumentar devido ao fechamento do comércio, o qual foi justificado como forma de diminuir a propagação do novo coronavírus. Na última quinta-feira, 21, por exemplo, a informação que tivemos é que 70 demissões foram registradas em apenas um dia. Sem auxílios e sem emprego, é impossível que o trabalhador mantenha em dia todos os seus compromissões financeiros”, disse.

Também em relação ao último decreto municipal para tentar conter o aumento em casos e óbitos de covid, o presidente da associação afirma que deveria haver mais equilíbrio nas medidas de restrição ao comércio.

Na teoria, o fechamento do comércio é muito bom, mas, na prática, nem tanto. Todos temos que reconhecer a importância de diminuir a propagação da covid-19 e tomar todas as cautelas necessárias, porém, é fundamental que ocorra uma relação equilibrada, para que sejam mantidas e criadas novas oportunidades de trabalho. Quando falo sobre a possibilidade do total de inadimplentes voltar a subir, espero que não ocorra, mas é uma situação muito provável, principalmente devido as taxas de desemprego”, disse.

Já em relação ao segmento que registra mais inadimplentes, Renato Mohallem informou que, normalmente, o crediário é o que mais gera endividados.

As compras por meio de crediário são as com maior probabilidade de não serem pagas, ao contrário dos cartões de crédito, onde os consumidores pagam regularmente para se manterem adimplentes e continuarem comprando na modalidade a prazo, mês a mês”, explicou.

Para os consumidores que pretendem quitar as dívidas, Mohallem orienta que entrem em contato com a Acip.

Possuímos um dos mais modernos e eficazes serviços de recuperação de crédito de toda a região. Sabemos que ninguém quer ser inadimplente. É possível negociar toda situação, até porque, quanto mais adimplentes no município, mais pessoas terão crédito, o que, consequentemente, colabora com a economia, faturamento e renda de todos os tralhadores”, afirma o presidente da associação.