Destaques Geral

Ibrachina vê financiamento para Minas com novo banco dos Brics

22 de julho de 2020

Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – No seminário sobre Cooperação Internacional Contra a Covid-19, realizado nesta terça-feira, 21, por videoconferência, o presidente do Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina), Thomas Law, destacou que a criação da representação, no Brasil, do Novo Banco de Desenvolvimento (o banco dos Brics) representará maior financiamento para investimentos em Minas Gerais a projetos nas áreas de infraestrutura e desenvolvimento sustentável. O evento contou com as participações do subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia de Minas Gerais, Juliano Alves Pinto, e do presidente da agência estadual de Promoção de Investimento e Comércio Exterior (INDI), Thiago Toscano.

A criação do banco dos Brics, que já foi referendada no Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 657/2019, aprovado na Câmara dos Deputados, depende agora de análise no Senado. Integrante da Frente Parlamentar dos Brics, Thomas Law acredita que o escritório no Brasil pode facilitar o acesso a financiamentos para municípios, estados e União, além da iniciativa privada. A instituição financeira, com sede em Xangai, na China, foi criada em 2014 pelo grupo de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Juntos representam cerca de 42% da população, 23% do Produto Interno Bruto, 30% do território e 18% do comércio mundial.

O banco é uma alternativa ao Banco Mundial e ao Fundo Monetário Internacional e tem por finalidade promover maior cooperação financeira e desenvolvimento dos países membros. O capital inicial previsto é de US$ 50 bilhões (cerca de R$ 250 bilhões), podendo chegar a US$ 100 bilhões (R$ 500 bilhões)”, disse Thomas Law.

O banco acaba de aprovar US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões) para ajudar no combate à covid-19 no Brasil. O montante servirá ao pagamento do auxílio emergencial do Governo federal a cerca de cinco milhões de pessoas. A nova operação fez a participação do Brasil no portfólio total do banco pular de 8% para 13%.

Esse recurso mostra que a carteira no Brasil deverá crescer ainda mais neste ano porque o banco tem, em análise, vários projetos com potencial de aprovação até o final de 2020, o que pode significar mais US$ 2 bilhões em aprovações”, revelou o presidente do Ibrachina.

A crise do coronavírus e a piora nas condições do mercado brasileiro fizeram disparar o volume de dinheiro solicitado pelo Governo Federal a agências internacionais. O valor negociado neste ano já representa 20 vezes o registrado em 2019. O governo, por exemplo, recorreu à Agência Francesa de Desenvolvimento para facilitar a aprovação de linhas de crédito sem garantia da União para bancos de desenvolvimento em São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina. Por meio do Ibrachina, Thomas Law possibilitou doações a hospitais e entidades de Minas de equipamentos de proteção individual, firmou parcerias com a Universidade Federal de Viçosa (UFV) e está em negociações com a Universidade Estadual de Minas Gerais, unidade de Passos. Law preside a coordenação nacional das relações Brasil/China, do Conselho Federal da OAB.

Em breve, vamos inaugurar a sede do Ibrachina, em Belo Horizonte, e iremos também criar um núcleo estadual na OAB das relações Brasil/China”, afirmou.

O presidente do Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina), Thomas Law, destaca que em breve será inaugurada a sede do instituto em Belo Horizonte