Destaques Geral

IBGE faz 196 entrevistas remotas da Pnad a cada três meses em Passos

11 de fevereiro de 2021

Foto: Site EBC

PASSOS – O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) realiza pelo menos 196 entrevistas, de forma remota e a cada três meses, para a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Contínua) em Passos. De acordo com informações do instituto, a cidade é dividida em 14 setores, cada um com 14 residências.

Segundo o técnico em Informações Geográficas e Estatísticas do IBGE em Passos Sérgio de Oliveira Sofiati, as entrevistas por telefone, apesar de um pouco mais delicadas para fazer, têm dado resultado.

O teletrabalho acaba sendo mais difícil e com razão. Afinal de contas, existe um medo natural das pessoas em prestar informações, já que ela não está nos vendo, e isso é perfeitamente compreensível. Mesmo assim, estamos conseguindo fazer a pesquisa com uma média de aproveitamento bastante satisfatória, cerca de 85%”, afirma.

Sofiati afirma também que a escolha das residências é aleatória.

A escolha dos domicílios é aleatória. Nelas, perguntamos sobre escolaridade, trabalho, habitação e turismo. Lembrando que algumas perguntas são exclusivas de determinadas entrevistas. Por exemplo, na parte de habitação, nós fazemos algumas perguntas sobre o domicílio que a pessoa mora. Se é próprio ou alugado, se a preparação de alimentos é realizada por meio de gás de cozinha ou energia elétrica. Se a resposta é positiva no caso de aluguel da residência, perguntamos o valor da prestação que se paga, se o domicílio possui telefone fixo, celular, geladeira, máquina de lavar, televisão. Fazemos um levantamento. Uma pergunta muito importante é sobre a internet. Qual é a conexão na casa e quais aparelhos usam internet (TV, celular, notebook)”, contou Sérgio.

A Pnad Contínua também apura informações sobre escolaridade dos residentes dos domicílios pesquisados. Segundo Sofiati, perguntas sobre trabalho fazem parte da entrevista mais extensa da pesquisa.

Isso porque é a que tem mais perguntas e que são, basicamente, a ocupação do cidadão. Se ele trabalha no comércio, indústria, serviço, agricultura. Qual é a sua área de atuação? Sua profissão. Também levantamos sobre a atividade do emprego e empresa. Identificada a profissão e a atividade, perguntamos sobre carteira assinada, contribuição da previdência, rendimento médio da pessoa, carga horária semanal, vínculo com a empresa, se é carteira assinada, se a pessoa é o empregador, se trabalha por conta própria”, contou.

Segundo Sofiati, recentemente, o instituto passou a fazer perguntas sobre turismo, negócios e lazer.

De três meses para cá, temos realizado essas perguntas. Se o entrevistado viajou desde a primeira entrevista que fizemos. Se saiu de Passos ou da cidade onde ela mora a lazer, negócios, trabalho”, disse.

Sofiati afirma ainda que os profissionais que atuam na pesquisa do IBGE não pedem dados bancários nem números de documentos das pessoas entrevistadas e que as identidades deles podem ser conferidas no site oficial do instituto.

Todos servidores do IBGE têm sua matrícula e foto no respondendo.ibge.gov.br onde é possível clicar em verifique a identidade do entrevistador. Então, eu oriento às pessoas: se alguém te liga e fala que é do IBGE, é só pedir o número da matrícula com link e foto no site. Se não tiver isso, não é pesquisador daqui. Tem que ter foto no site nome, tudo certinho no site”, alertou Sofiati.

A Pnad Contínua tem por objetivo acompanhar as flutuações trimestrais e a evolução, no curto, médio e longo prazos, da força de trabalho, e outras informações necessárias para o estudo do desenvolvimento socioeconômico do país.