Destaques Geral

Grupo Folha lança projeto “Roteiros da Fé”

13 de julho de 2020

O violonista Celso Faria, a jornalista Adriana Dias, o músico Denilson Cesar dos Reis e o droner Douglas Arouca formam o grupo que criou os vídeos Roteiros da Fé. / Foto: Divulgação

Em agosto de 2020, o Santuário de Nossa Senhora da Penha, em Passos, vai comemorar 73 anos. E a igreja abre a série do projeto Roteiros da Fé, idealizado pela jornalista Adriana Dias, do Grupo Folha da Manhã, que vai trazer vídeos de 1 minuto sobre 23 igrejas católicas da cidade de Passos e uma da zona rural, totalizando 24 peças que serão exibidas uma vez por semana no Portal ClicFolha e nas redes sociais do jornal a partir deste domingo, 12.

O que você também vai ler neste artigo:

  • Série é composta por 24 igrejas
  • O Santuário da Penha é um monumento de Passos

Os vídeos foram filmados por drone pelo passense Douglas Peres Furtado Arouca, o Doug Arouca, e tem trilha sonora do violonista Celso Faria, também passense, com gravação no Studio Alfa, de Denilson Cesar dos Reis. De acordo com Adriana Dias, que fez toda a produção do projeto, a ideia surgiu após ter visto vários ‘passeios aéreos’ em Passos produzidos por Doug Arouca.

As imagens de destaque que nosso município tem são, certamente, as igrejas. Elas chamam atenção de qualquer ponto que olhemos. E, como o Grupo Folha está passando por reformulações em seus projetos gráficos, tanto no jornal impresso – que ganhou versão nova – quanto no portal, entendemos que seria interessante trazer vídeos curtos sobre cada um dos templos religiosos. Douglas Arouca topou nossa ideia e Celso Faria também acatou o pedido prontamente, vindo a Passos para gravar as composições especiais e específicas para cada igreja ou grupo de igrejas”, disse a jornalista.

A primeira música gravada na quarta-feira, 8, é o Estudo, op. 35 n° 1 do espanhol Fernando Sor, ao som do violão de Celso Faria, passense que mora em Belo Horizonte há vários anos e tem um currículo impressionante. Ele possui destacada atuação como recitalista de violão solo, como solista orquestral e como integrante de diversas formações de câmaras. Bacharel em violão pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é especialista em “Música brasileira – práticas interpretativas”, pela Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg), e mestre em “Performance musical” também pela UFMG. Foi aluno de violão de Beto Davezac, em Belo Horizonte, e de música de câmara de Norton Morozowicz, no Rio de Janeiro.

Sobre o Roteiros da Fé, Faria assegura que escolheu músicas de vários autores de período clássico que deram contribuição para a literatura do violão.

As pessoas estão, de uma maneira geral, por conta da pandemia, carentes. Neste projeto vai acontecer algo bastante interessante. O passense vai se sentir representado neste projeto que envolve essas 24 igrejas. Ele vai olhar para a igreja e ter a sensação de pertencimento. ‘Eu conheço esta igreja, já fui neste templo. Está no meu coração.’ E, para agregar a isso, a jornalista passense Adriana Dias convidou a mim, ao Douglas e ao Denilson, todos passenses que, cada um dentro da sua área, representam Passos”, afirmou.

Ainda conforme informou Faria, ele disse ter gostado e aceito participar do projeto Roteiros da Fé pela sua originalidade.

Acompanho a cidade pelas redes sociais e por amizades que mantenho aqui, e nunca vi um projeto como este, que vai mostrar pela ótica do afeto as igrejas da cidade. Uma das formas de contar a história de um povo é por meio das igrejas, algumas antigas e outras modernas, sendo todas heterogêneas”, salientou.

Para Douglas Arouca, que é engenheiro ambiental, recém-graduado em direito, servidor público, mas tem paixão por fotografia e considera-se fotógrafo, videomaker e operador de drone há 5 anos, o projeto valoriza a cidade.

Eu apostei no projeto Roteiros da Fé por entender que ele vai justamente ao encontro do trabalho que tenho desenvolvido ao longo dos últimos anos, de valorização de nossa cidade, mostrando suas belezas e riquezas naturais, arquitetônicas, religiosas, históricas, etc. O jornal Folha da Manhã, ao convidar profissionais passenses para esse projeto, reconhece também a importância de valorizar aqueles que são da cidade, fomentando a cultura e a arte locais, uma iniciativa louvável, que deve ser continuada e estendida”, comentou.

Denilson, que atua com música, gravações e mixagem há 32 anos, disse ter apoiado o projeto por achá-lo interessante e que a cidade precisa desse tipo de memória.

É uma história que vai ficar para a posteridade, e poder gravar o Celso Faria, alguém que eu conheci ainda jovem e que fez questão de valorizar a cidade por meio destas canções de tão rara beleza para cada igreja, é excelente”, contou o músico.

A logomarca do projeto foi desenvolvida pelo designer gráfico Armando Vidigal, funcionário do Grupo Folha da Manhã.

Série é composta por 24 igrejas

– O projeto Roteiros da Fé é composto pelas paróquias de Matriz Senhor Bom Jesus dos Passos, com a Igreja de São Francisco; o Santuário Santo Anibal Di Francia (Educandário); a Capela de São Vicente (dentro do Lar dos Idosos); a Capela do Colégio Imaculada Conceição (CIC). Pela paróquia Matriz de São Benedito com a Igreja de Nossa Senhora do Rosário; a de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro; Capela São Miguel (Cemitério Municipal).

Também a paróquia São José, a paróquia de Nossa Senhora Aparecida, que tem como igrejas a de Santos Reis e Santa Luzia e a Capela do Carmelo São José. Ainda a paróquia de Nossa Senhora da Penha, que tem a Capelinha Centenária da Penha (patrimônio histórico tombado); a de São José do Valinho e a Capela da Santa Casa e Santo Antonio de Pádua.

Ainda compõem o roteiro as paróquias de São Luis Montfort; a paróquia de Nossa Senhora de Fátima que tem a igreja da Sagrada Família; a paróquia de Nossa Senhora das Graças que conta com a igreja de Santa Rita e a paróquia de São Judas.

A única igreja, dentro deste primeiro momento da série, que fica na zona rural é a Capela Bom Jesus da Lapa, na Usina Rio Grande, como forma de agradecimento ao violonista Celso Faria, uma vez que a edificação daquela igreja foi feita por seu avô Domiciano Fernandes da Silveira e sua avó Ponciana de Souza Silveira.

O Santuário da Penha é um monumento de Passos

Conta a história que Monsenhor José Maria Matias tinha o sonho de construir uma igreja em homenagem a Nossa Senhora da Penha. Em agosto de 1947, este sonho começou a se realizar. As obras duraram várias décadas e sua conclusão só aconteceu em 1986.

Hoje o belíssimo e imponente templo de fé é um dos cartões postais da cidade, de vários ângulos da cidade, avista-se sua cúpula brilhante que chama a atenção de todos. Sua beleza é registrada por diversos fotógrafos e já foi capa de inúmeras revistas, tornando-se, no mês de julho, a imagem que ilustra o novo projeto gráfico da Liturgia Diária, publicação da Editora Paulus, com circulação no Brasil e em Portugal, e que está presente em quase todos os templos católicos dos dois países.
Sua arquitetura teve inspiração em elementos da arquitetura neogótica europeia.

Os vitrais do início da construção proporcionam uma atmosfera de tranquilidade no interior do templo. Em 2014, foram feitos 19 painéis com passagens bíblicas pintados sobre azulejos e paredes do Santuário de Nossa Senhora da Penha. O trabalho foi feito pelo arquiteto Marco Aurélio Funchal.

Os painéis marcaram à época o aniversário de 150 anos da Capela de Nossa Senhora da Penha e os 66 anos de elevação da paróquia à condição de santuário, celebrados em agosto de 2014. A Capelinha centenária é um bem tombado pelo Patrimônio Histórico e em breve terá o seu vídeo aqui no projeto Roteiros da Fé.

O Santuário de Nossa Senhora da Penha é avistado de vários pontos da cidade. É escolha certa de vários passenses de todos os bairros para cerimônias de casamento, batizado e até apresentações de teatros em seu espaço externo.