Destaques Geral

Governo contrata 182 por meio do Transforma Minas

26 de dezembro de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

BELO HORIZONTE – O ano de 2020 foi marcado por grandes desafios em razão da pandemia de covid-19. Como medida de saúde e segurança, o Governo de Minas adotou, em março, o regime especial de teletrabalho, viabilizando a manutenção das atividades realizadas pelo Estado. A Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) foi responsável por regulamentar a modalidade de trabalho remoto e desenvolver diferentes ações voltadas para a melhoria da prestação de serviços.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Transforma Minas
  • Teletrabalho
  • Valorização
  • Economia

Transforma Minas

O trabalho remoto não comprometeu a continuidade do Transforma Minas, projeto estratégico de seleção e desenvolvimento profissional do Governo de Minas que, em 2020, se consolidou como referência no setor público.
Até o momento, foram 193 processos seletivos concluídos pelo programa, com 182 profissionais nomeados para cargos estratégicos e de liderança no Estado. Há sete processos em andamento, 12 já estruturados, além de ganhos como a melhoria dos processos de documentação e dos testes de perfil e motivacional.

O Transforma Minas tem ganhado corpo e visibilidade, já tomando papel de destaque em modelo de gestão de pessoas na administração pública nacional”, destaca a subsecretária de Gestão de Pessoas, Kênnya Kreppel. “A internalização e o amadurecimento do processo seletivo são os destaques na frente de seleção do programa”, complementa.

Além da seleção, o Transforma Minas conta com frentes para desenvolvimento e desempenho de profissionais. Outro destaque em 2020 foi a conclusão da primeira turma do Programa de Desenvolvimento de Liderança (PDL), feito em parceria com a Fundação João Pinheiro (FJP). Ao todo, 55 gestores do governo participaram de 14 encontros de capacitação, que tiveram como objetivo valorizar e desenvolver as competências específicas para cargos de liderança por meio de escuta, resiliência, engajamento e comunicação.

De acordo com a coordenadora do Transforma Minas, Luciana Custódio, o PDL foi rapidamente remodelado para atender ao novo formato de trabalho e às novas demandas por desenvolvimento. “Os módulos presenciais foram substituídos por eventos periódicos, todos virtuais”, afirma.


Teletrabalho

A subsecretária Kênnya Kreppel destaca a ação realizada para implantar o regime de teletrabalho no Estado em aproximadamente 15 dias.

O tema não era novo à equipe, o que contribuiu para que a normatização contemplasse bases sólidas para a realização do trabalho, garantindo a continuidade da prestação do serviço”, observa.

Outro fator importante para o sucesso da implantação da modalidade foi a interação da Seplag com outras áreas do governo. “Os processos de gestão de pessoas foram adaptados e a utilização das tecnologias de informação e comunicação contribuiu para que tudo desse certo”, ressalta a subsecretária. Em setembro, a Seplag também estabeleceu as diretrizes de retomada gradual do trabalho presencial em órgãos e entidades localizadas em região classificada na Onda Verde do Plano Minas Consciente.


Valorização

Em 2020, os salários foram pagos cumprindo as datas divulgadas anteriormente e em parcela única para as áreas de Saúde e Segurança Pública, que atuam na linha de frente do combate à covid-19. Pela primeira vez nos últimos quatro anos, também será paga uma parte do 13º para todos os servidores estaduais dentro do ano corrente. A parcela de R$ 2 mil está sendo depositada nesta quarta-feira, 23/12.

Outras medidas adotadas na gestão de pessoas foram a suspensão dos prazos de concursos públicos vigentes e de contratos temporários em razão da pandemia, assim como o prazo para recadastramento de inativos. O atendimento aos servidores foi assegurado virtualmente, por meio do RH Responde, e 53 reuniões sindicais foram realizadas com grupos de servidores, associações e entidades representantes.


Economia

A Subsecretaria de Gestão de Pessoas atuou também na implantação da ferramenta de auditoria e supervisão da folha de pagamento, como ação estratégica do Plano de Recuperação Fiscal do Estado e com caráter permanente. Até o momento, cerca de R$ 153 mil foram devolvidos aos cofres estaduais decorrentes de pagamento indevidos realizados anteriormente.