Destaques Política

Geração Y representa 23,8% dos candidatos

Por Nathália Araújo / Redação

1 de outubro de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Entre os 193 candidatos que estão na disputa por cargos políticos em Passos, 46 (23,83%) pertencem à chamada Geração Y, que são as pessoas nascidas entre os anos de 1981 e 1999. Desse total, 45 concorrem a uma vaga no Legislativo e um no Executivo. No caso da “Geração Z” (nascidos no século XXI), este ano o município não conta com nenhum cidadão registrado para pleitear tais funções.

O partido que mais apresentou candidatos da Geração Y foi o PSB, que soma oito concorrentes. Em seguida, estão o Podemos e o MDB, com seis representantes cada, e o DEM e o PP, ambos com cinco. O PMN lançou quatro postulantes. Para Gabriela Dias de Almeida, especialista em Ciências Políticas, um bom governo deve contar com ideais que se aproximem do pensamento dos cidadãos e, com a participação dos jovens, isso se torna mais fácil. “Este é um assunto que levanta diversas questões, mas o fato é que nosso país precisa se atualizar. As pessoas mais novas são mais adeptas à tecnologia e mais engajadas na luta pela democracia e suas vertentes, o que reflete diretamente na qualidade das ações desenvolvidas. Esta geração vai determinar o nosso futuro, precisamos não só confiar no potencial dessas pessoas, mas também incentivá-las a participar de assuntos importantes para a sociedade”, destacou.

O candidato Diego Rodrigo de Oliveira (PSL), 36 anos, é o mais novo na disputa pelo cargo de prefeito e afirma que as pessoas querem mudanças.

Ser o mais jovem candidato nesta eleição me dá a certeza de que podemos mudar os rumos de nossa cidade. O povo cansou da velha política e dos vícios obtidos nos últimos anos. A nova política, a nova mentalidade na política é pedida pela população, e estamos vindo justamente para realizar essa vontade de todos. Mas preciso registar que, embora seja o candidato mais jovem, me preparei ao longo dos últimos anos para pleitear o cargo de prefeito e isso todos saberão durante a nossa campanha”, pontuou.

Luana Letícia de Oliveira Nascimento, 20 anos, filiada ao PT, é a candidata mais jovem na disputa e diz que tomou a decisão de entrar na política para representar a cultura e a diversidade.

Sei o quanto isso é importante, e vai bem mais além de ser a mais nova, porque também sou uma mulher negra, e é preciso destacar que estar aqui é resultado de muita luta. Mesmo assim, enfrentamos muitas situações criadas pelo machismo e pelo coronelismo que ainda existe em nossa cidade. Esse paradigma social precisa ser quebrado. Vejo que falta a inserção do jovem em muitas esferas e estou aqui para mostrar que somos capazes de fazer um trabalho de qualidade”, disse.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem lançado ferramentas para incentivar a participação dos jovens no cenário político. Como uma das principais ações desenvolvidas, estão as aulas virtuais sobre cidadania e voto consciente, em que os internautas podem interagir com os palestrantes por meio dos comentários. Além disso, também foram lançadas as campanhas “Eu na Prefeitura, Eu na Câmara”, que recebeu vídeos de 30 segundos com sugestões para a administração municipal, e “Semana do Jovem Eleitor”, que estimula a emissão do Título Eleitoral.