Destaques Geral

Gás de cozinha deve ter reajuste na próxima semana em Passos

Por Ézio Santos / Especial

24 de outubro de 2020

A Petrobras anunciou um aumento de 5% no valor do botijão de 13 quilos, que está cotado em R$ 30,74, sem impostos e margem de distribuição. / Foto: Divulgação

PASSOS – O preço do gás de cozinha deve ser reajustado, em Passos, na próxima semana. É o que aponta um levantamento realizado pela reportagem da Folha junto a revendedores do produto na cidade. A Petrobras anunciou um aumento de 5% no valor do botijão de 13 quilos, que está cotado em R$ 30,74, sem impostos e margem de distribuição. A maioria dos proprietários de depósitos está com o atual estoque do botijão de 13 quilos pela metade ou quase se esgotando.

Vai ficar para semana que vem [o aumento], quando chegar o novo carregamento”, afirmou Adilson José Ferreira, que também é revendedor da Consigaz, empresa do setor de engarrafamento, distribuição e comercialização de gás. Representantes de outras empresas do segmento adotaram o mesmo comportamento em relação ao reajuste.

“Ainda tenho muitos vasilhames cheios, que vão atender minha clientela até o início da próxima semana, portanto vou vender o produto praticando os atuais preços”, revelou Eliana Izabel Ferreira de Oliveira, da SOS Gás.

“Por enquanto não há motivo para o reajuste. Vou aguardar a chegada de um novo estoque”, disse Alex Ferreira, do depósito Alex Gás. A proprietária do Santana Gás, Selma Matilde Oliveira Silva, diz que vive a mesma situação e, nos próximos dias, vai praticar o percentual de 5%.

O município de Passos é atendido por cinco distribuidoras diferentes de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP): Copagaz, Ultragaz e Nacional, que possuem área livre para estocar centenas de botijões e frota própria, e Consgigaz e Supergabras, que terceirizam o transporte do produto.


Composição de preço

No acumulado do ano, o gás de cozinha já sofreu um aumento de 10,5%. No valor do botijão, isso representou elevação de R$ 2,93 no produto vendido pela estatal. Em Passos, o preço do botijão de 13 quilos varia de R$ 65 a R$ 78, dependendo das formas de pagamento e entrega. Segundo a petroleira, a composição de preços do GLP é dividida da seguinte forma: 41% de realização da Petrobras; 3% de impostos federais, o PIS e Cofins; 16% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); e 40% de distribuição e revenda.

“Importante esclarecer que, desde novembro de 2019, a Petrobras igualou os preços de GLP para os segmentos residencial e industrial/comercial, e que o GLP é vendido pela Petrobras a granel. As distribuidoras são as responsáveis pelo envase em diferentes tipos de botijão e, junto com as revendas, são responsáveis pelos preços ao consumidor final”, informou, por meio de nota, a estatal.