Destaques Esporte

FPF cria novo protocolo para convencer MP a liberar a volta do Paulistão

30 de março de 2021

Federação tenta autorização para realizar jogos durante fase emergencial decretada em SP. / Foto: Divulgação

SÃO PAULO – Nesta segunda-feira, 29, os 16 clubes da primeira divisão estadual se reuniram em encontro virtual e decidiram tentar retomar o diálogo com o Ministério Público. Para isso, produziram um novo protocolo de realização de jogos, ainda mais rígido do que o anterior. A Federação Paulista de Futebol produziu um novo e mais rígido protocolo para realização de jogos em mais uma tentativa de convencer o Ministério Público de que é seguro disputar o Campeonato Paulista em São Paulo neste momento.

A intenção foi debatida na manhã desta segunda-feira, em reunião virtual com os clubes da Série A-1. O novo documento, assinado pelos médicos da comissão médica da FPF e dos 16 clubes do torneio, inclui um corte radical no número de pessoas envolvidas em cada partida, além da apresentação de um novo modelo de “bolha” para manter atletas e comissões técnicas sob monitoramento constante.

Uma versão com mais restrições do que a que foi utilizada até março já foi entregue ao MP neste mês, numa primeira rodada de negociações feita quando o governo de João Doria (PSDB) determinou a paralisação do campeonato no início deste mês. Ele previa a redução de jogos no período de fase emergencial, um sistema de “bolha” para as partidas, ampliação no número de testes e redução de 70% no número de pessoas trabalhando nos estádios. As medidas não foram aceitas pelo Ministério Público, que manteve a recomendação de suspensão dos eventos esportivos.

O Campeonato Paulista está impedido de realizar partidas em São Paulo por causa de um decreto do governo estadual que endureceu medidas de restrição para tentar conter a pandemia de Covid-19, em seu momento mais crítico no país. A determinação suspende a realização de eventos esportivos no estado desde o dia 15 de março. Na semana passada, foi ampliada até o dia 11 de abril.

Nesse período, a FPF tentou negociar com o governador João Doria (PSDB) e com o Ministério Público estadual, que apoia a decisão, mas sem sucesso. Dois jogos foram realizados no Rio de Janeiro, em cidades onde não há restrição, na semana passada: Mirassol x Corinthians e São Bento x Palmeiras. Outras partidas chegaram a ser cogitadas em outros estados, mas as negociações com as cidades foram barradas por decisões locais. Originalmente, o Campeonato Paulista estava previsto para terminar no dia 23 de maio.