Destaques Esporte

Felipe Conceição diz que acesso à Série A é viável para o Cruzeiro

3 de abril de 2021

Em entrevista, técnico explicou detalhadamente suas ideias para reconduzir o Cruzeiro à elite nacional. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – O futebol pobre e resultados modestos neste início de 2021 fazem voltar à mente do torcedor do Cruzeiro o filme de 2020, temporada em que quase tudo deu errado para o clube, a ponto de amargar a permanência na Série B. Mas o homem encarregado de colocar o time no rumo das vitórias assegura que o fim deste ano será bem diferente.

O técnico Felipe Conceição, de 41 anos, natural de Nova Friburgo-RJ, está muito confiante no acesso celeste à primeira divisão e diz que esse começo irregular faz parte de uma fase transitória. Dias melhores virão.

Sim (o torcedor pode sonhar com esse acesso). A gente acreditou neste projeto, aceitou a proposta e com esse objetivo principal no ano”, disse o comandante.

Segundo Felipe Conceição, a base é a mudança do futebol reativo, herança dos últimos trabalhos, para um modelo de jogo mais agressivo e intenso. A maior velocidade das ações, segundo ele, expõe erros nesse começo. Mas, em breve, o encaixe será natural.

Não é que a gente busque apenas o desempenho, mas o desempenho nos dará uma regularidade de resultados no futuro. O que a gente almeja é que no Campeonato Brasileiro a gente já esteja com essa consistência, com essa regularidade e com padrão já bem definido em todos os jogos”, projetou.

No Cruzeiro, o desafio é apontado por Felipe como maior pela grandeza da instituição e pela pressão que existe em torno da volta à Série A. Não bastasse isso, o clube abandonou há alguns anos a sua tradição de jogo ofensivo.

É uma ruptura grande pelo passado recente do clube. Estamos confiantes neste processo e na nossa jornada na Série B. A gente está construindo, batalhando diariamente, para que esse processo seja acelerado e a gente já encontre esse padrão o mais rápido possível. O trabalho é para que a gente alcance um padrão de jogo dentro e fora de casa. Ser protagonista, ter a bola, ser agressivo em todas as ações do jogo”.