Destaques Dia a Dia

Família Soares

POR FERNANDA DE OLIVEIRA FARIA

11 de dezembro de 2020

Nos meados dos anos 50, havia um lugar na Serra da Canastra chamado Gurita. Lá, morava uma família cujo sobrenome era Soares. A casa era no fundo entre a serra e as grutas, devido a isso o nome “Gurita”. Era um lugar muito bonito, mas ao mesmo tempo sem recursos, pois quando era o “tempo das águas”, chovia até três meses sem parar. Assim, os fazendeiros ficavam isolados devido às enchentes dos rios.

Se as pessoas tivessem qualquer problema de saúde, a solução era apenas chá de ervas e café amargo para abaixar a febre. As pessoas chegavam até a passar necessidades de certos alimentos, pois a chuva as impedia de ir até a cidade.
Perto da casa, moravam dois homens portadores de problemas mentais e viviam malvestidos, sentados dentro de pilões. Por falta de alimento, chegavam a comer pedaços de adobe das paredes. Os pais da família Soares se preocupavam muito com os filhos, quando visitavam seus vizinhos.

Soube que certa vez, o pai dos Soares foi à cidade procurar emprego e ficou por lá durante três meses. Não houve como voltar para a fazenda devido à chuva. A mulher e os filhos chegaram a pensar que ele tinha falecido, por conta de tanta demora, mas felizmente ele voltou são e salvo! As crianças adoravam o tempo das águas, pois podiam se divertir nas poças de água dos pastos ou ficar dentro 204 de casa brincando de boneca de pano e de carrinho de sabugo de milho. Elas utilizavam a água da goteira para tudo: banhar, cozinhar e beber, pois era impossível ir até o rio buscar água.

Certo dia, o pai decidiu se mudar com a família para a cidade chamada Guia Lopes, pois havia conseguido arrumar uma casa e um emprego de celeiro durante o tempo que esteve fora. Todos adoraram a ideia, pois tinham o sonho de morar na cidade. Assim, foram todos a cavalo. As crianças mais novas na cabeça do arreio e as maiores na garupa. Com muita dificuldade levaram todas as coisas da mudança. Foram necessárias três viagens de carro de bois para que conseguissem levar tudo.

Depois de certo tempo, a mãe conseguiu um emprego na cantina da escola onde matriculou as crianças. Hoje, estão todos adultos e muito felizes! Minha vó que me contou tais fatos, pois esta é uma história da família dela, aliás de nossa família!

FERNANDA DE OLIVEIRA FARIA é aluna do 3º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio, ano de 2018. Essa e outras 100 histórias regionais estão reunidas em um livro organizado por Maria Mineira. Com o apoio da Cooperativa Educacional de São Roque de Minas foi lançado em 2019: “Letras da Canastra- Cooperativa Educacional Escrevendo História”. Para adquirir um exemplar entre em contato pelo e-mail: [email protected]