Destaques Geral

Família de vítima de covid-19 troca flores por cestas básicas

Adriana Dias / Redação

9 de junho de 2021

Foram arrecadadas mais de 60 cestas que foram distribuídas a entidades assistenciais :/ Reprodução

PASSOS – “Se eu morrer antes de você, minha irmã, não deixe que familiares e amigos comprem coroa de flores. Prefiro que sejam doadas cestas básicas. Além de alimentar quem tem fome, preserva o meio ambiente”. Este foi o pedido feito pela passense Maria das Graças Garcia Freitas, de 71 anos, vítima da covid-19 que foi sepultada no dia 1º de junho, à sua irmã Maria Aparecida Garcia. Foram arrecadadas mais de 60 cestas que foram distribuídas a entidades assistenciais.

Conforme contou Maria Aparecida Garcia, a Cida Garcia, à reportagem, quando ambas iam a velórios, a irmã comentava sobre o assunto.

“Sempre foi muito preocupada tanto com o meio ambiente quanto com as pessoas, principalmente aquelas que passam por necessidades. A Graça era muito religiosa, católica, e achava um verdadeiro desperdício uma pessoa gastar dinheiro comprando flor que ia durar ali apenas algumas horas. Então, quando Graça contraiu covid e vi que estava difícil sua recuperação, conversei com suas três filhas Juliana Cristina, Isamara e Fabiana sobre o pedido e todas gostaram da ideia”, disse Cida.

Segundo Cida, o velório foi bastante restrito, não só em função dos protocolos adotados em óbitos em decorrência da covid, mas por causa da pandemia e por não quererem aglomeração e os familiares se mantiveram em suas cidades.

“Em Passos, nós conseguimos 48 cestas que entregamos na Cantina Dona Bernadete, no Centro Pop Padre Léo, para a Conferência Vicentina do São Benedito e também para o Centro de Aprendizagem Pró-Menor de Passos (Capp). Nossos parentes de São Paulo, Campinas, Santo André, Curitiba, Lavras, Belo Horizonte e Itapira arrecadaram e também doaram em suas cidades. Sabemos que superou 60 cestas, o que, com certeza, minha irmã ficou mais feliz do que se fossem coroas de flores. Os únicos vasos de flores do velório foram dois de crisântemo que a funerária coloca e que as filhas entregaram cada flor para quem se fez presente e também na hora de colocar o caixão no túmulo, pétalas brancas foram jogadas. Fazendo uma conta bem rápida, com o valor de cada coroa (em média) daria para comprar duas cestas básicas. Então, esperamos com isso, plantar a semente que minha irmã sempre buscou da ajuda ao próximo. Quando fez 65 anos, ela pediu no lugar de presente que fossem dadas caixas de leite que ela doou. Que sirva de exemplo para outros”, afirmou.