Cidadania Destaques

Família abraça projeto filantrópico de ex-vereador

Por Ézio Santos / Especial

30 de novembro de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – O radialista e ex-vereador passense Hilton Rosa da Silva, que faleceu há pouco mais de um mês, vítima da covid-19, mantinha por conta própria um trabalho assistencial às pessoas adoentadas. No entanto, a esposa, filha e mais oito irmãos resolveram dar continuidade ao projeto, que poderá, futuramente, se tornar uma fundação filantrópica. Milton Rosa da Silva, o Miltinho, de 46 anos, revela que o sonho do irmão era transformar o seu projeto – desenvolvido há anos – em uma Organização Não Governamental (ONG).


LEIA TAMBÉM: Acidentes de trânsito têm queda de 28% em Passos

LEIA TAMBÉM: Renda Minas vai injetar R$4 milhões na região

O Hilton era muito caridoso, tinha compaixão pelas pessoas em geral. Não reparava se eram pobres ou ricas, de cor branca ou negra, se eram católicas, como sempre foi, fervoroso, desde que nasceu, ou de outra religião. Ele queria era ajudar, independentemente de ser ou não vereador. Tinha o coração bom e voltado, principalmente, às famílias carentes”, lembrou.

Ele ressalta que o irmão não dependia da política para sobreviver e fazer caridade. Mesmo antes de ser eleito vereador pela primeira vez, em 2001, já demonstrava ser um homem que gostava muito de ajudar os pobres.

Sem conseguir uma vaga na Câmara para a legislatura 2017/20, o Hilton continuou seu trabalho filantrópico normalmente. Estava tentando voltar a ser vereador, mas, em plena campanha eleitoral, foi contaminado pelo novo coronavírus, que o levou à morte. Agora, junto com a esposa dele, Eliane Aparecida de Souza Silva, e a filha, Paloma de Souza Silva, vamos tentar dar sequência a um dos gestos que mais gostava de fazer: a caridade”, disse.

O ex-parlamentar municipal tinha cerca de 120 peças doadas ou emprestadas a acamados ou acidentados que se recuperavam em casa. São camas hospitalares, pares de muletas, andadores, cadeiras de rodas, colchões casca de ovo, tipoias, cadeiras de rodas e muitas outras peças.

Algumas ele ganhou, mas a maioria tirou dinheiro do próprio bolso. Na casa dele tinham poucas, porque o uso pelos necessitados era intenso. Então, chegava uma cadeira de rodas hoje, no mesmo dia era emprestada novamente, porém meu irmão não tinha o controle de nomes e endereços das pessoas que estavam sendo atendidas. Muitas usavam e não devolviam. Devem estar encostadas e fazendo falta para quem precisa”, explicou.

Pouco mais de um mês após a morte de Hilton, seu irmão solicita que as pessoas que estiverem com algum dos acessórios hospitalares possam devolvê-lo, porque há muitos acamados e acidentados necessitando.

Podem me telefonar, que vou buscar qualquer peça. É só ligar para 9-8827-6468, inclusive para saber sobre o nosso projeto, que está sendo renovado. Nós estamos com duas ações entre amigos para comprar dezenas de cadeiras de rodas e andadores com o dinheiro arrecadado. Vamos sortear um ventilador e uma sanduicheira”, finalizou.


O ex-vereador

Hilton Rosa da Silva ficou internado por 34 dias na Santa Casa de Passos em razão da covid-19 – foram 26 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), respirando com ajuda de aparelhos. Ele morreu no dia 25 do mês passado, aos 53 anos. Além de político, ele foi comunicador por mais de 30 anos, e trabalhou durante muito tempo na extinta rádio Passos AM, pouco antes da migração para a faixa FM. Foi eleito para três mandatos na Câmara Municipal de Passos: em 2001 (PTB), em 2005 (PR) e, por último, em 2013 (PSDB).